• A MURALHA DA MORTE NA PRAÇA ANDRÉ DE ALBUQUERQUE…


    Das coisas que tinha medo

    Que me causavam paúra
    Boi preto da prefeitura
    Puxando o lixo bem cedo
    E na Rua Gonçalves Ledo
    Escutava o grito forte
    De Cambraia com seu porte
    Sem uso de megafone:
    Hoje tem Capitão Tony
    Lá na muralha da morte!

    (Graco Medeiros)

     
    Nota do SDV: na foto, o ‘galego’ ou o ‘alemão’ CAPITÃO TONY pilotando sua motocicleta na desafiadora “Muralha da Morte”, lá pelo começo dos anos 1960, na Praça André de Albuquerque, Natal-RN. 

    Depois da exímia exibição, ele passava para um pequeno porsche – e em alta velocidade -, balançava toda a estrutura feita de madeira e vigas de aço para suas exibições, deixando assustado, tonto e boquiaberto o seu fiel e ‘respeitável público’.

    No encerramento, o mestre de cerimônia do evento levava um lero com a galera, dizendo que “nenhuma seguradora queria fazer um seguro de vida para o intrépido e audaz  ‘capitão…”

    Não chegava a concluir a frase de um discurso já decorado sobre o abandono do ‘capitão’ à própria sorte e risco de vida… a frase inconclusa era o bastante para cativar emocionalmente uma plateia extasiada e ‘indignada com as seguradoras’.

    De repente, começava a ‘chover dinheiro’ na arena da Muralha da Morte!


    1 responses to “A MURALHA DA MORTE NA PRAÇA ANDRÉ DE ALBUQUERQUE…”


    • Taciana Jales

      Eu era desse tempo.
      Morava na João da Mata e sempre achei o círculo da morte um frisson.
      O nome dele era Aloisius e era casado com uma sobrinha de seu Maux


     Leave a reply