• DAS BORBOLETAS

    cobradô          “Nóis sofre mas nóis goza” – foto de Sony / fotoblog de Renatinha Nóbrega

     

                          EM SP, ACORDO DE SINDICATOS PREVÊ FIM DE COBRADORES

    AGÊNCIA ESTADO (São Paulo) – Com o argumento de que hoje só 8% dos usuários de ônibus de São Paulo pagam as passagens com dinheiro, o Sindicato de Motoristas e Cobradores (Sidmotoristas) fechou acordo com as viações para acabar com a função de cobrador. Pela proposta, sem data para começar, o motorista terá a incumbência de eventualmente cobrar a passagem. A Secretaria de Transportes informou que não tem nenhum estudo sobre o assunto.


    JERERÊ NEWS / Rocas Quintas (direto para a redação do SDV) – Pia só… grande nutiça essa lá das bandas de Sumpa!
    Os Borbagatos parece inté qui andam de óio nos Pelé do sindicato patroná de Natal, qui ‘inventaro’ o assentamento de barbuleta na dianteira dos õimbus, pros passagero otáro andarem disafiando as leis de Nilto, qui é muntcho mais cunhecido nas aula do Grupo Escolá Isabé Gondim das Rocas do qui o ôto qui dá nome à “Ponte Nova” e qui tem um vedáblio no meio…

    E tudo isso em nome da “sigurança”, mas meu patrão jura qui assina o PDV no selviço público se a intenção foi essa mermo!

    Arguém já dixe ao poeta do baobá de Lagoa Seca, acho qui foi um sabidão danado lá das bandas da Paraíba, qui tudo de bom e tudo de safadeza começa em Natal… já basta a grande cagada da Intentona Comunista, quando sargento Quintino, cabo Giocondo e o civí Zé Macedo, com mais ôtra reca de comunistas, butaro o bloco na rua antes do combinado, queimando o filme, principamente, dos cariocas e dos pernambucanos.

    Nas beiradas do Potengi, na terra dos biatos qui nunca me ajudaro, siqué, a tirá no ‘grupo’ (apois se sêsse da cabeça ao quinto, eu já tinha pegado a bufunfa do bicho e largado mão de rodá catraca na bunda do povo), tudo é fuleragem, malhação, ingrizia, invejança e bundamolice. Por isso qui quano é pra tirá patente de safardanage e trairage, aí tão pronto pra arrebentá na Copa do Mundo!

    Apois, fiquem sabeno os branquelos da garoa, qui na terra de Dom Filipe Camarão (um ‘potibucano’ feito meu patrão), motorista já tá, ao mermo tempo, guiano e passano troco em muntchos ôimbus das linhas e ninguém falô em leis e nem acordo no sindicato dos corno, lá na beira do riacho do Baldo. Aí, nesse causo, num se fala em sigurança e nem na saúde dos trabaiadô porra ninhuma. Tomém, essa coisa arruinô quano um pião inganadô, acidentado do trabáio, desmantelô de vez o seguro e a atenção à saúde e sigurança no trabaio. Agora, pense em curimatã, adispois de prová traíra!

    Aqui, na terra de Luís Cocorote, adonde forasteiro faz festa e fortuna (e uns ainda recramam da cidade, chamano de “escrota”), os dono de lotação comem Dalila e Sansão!

    Em Natal, adispois das dez, se o cristão num tivé de artomóve, ou disprivinido pro dinhêro do táquice, vai se reiá todim de andá a pés ou, entonces, ficá de cochilo nas paradas dos õimbus inté o amarelão do dia arrebentá a barra. E se dê pro sastifeito, apois lá se foi o tempo em qui os marginá de Potiguarina eram Baracho, Pé Seco, Ruela, Penera o Pé e Brinquedo do Cão.  

    Mas eu mermo já tô com meus dias contado e pronto pra aliviá as emorróias, só de vivê sentado passano troco na barbuleta das lotação. Quero vê se arrumo mermo é uma boquinha com uns ex-campãeros petistas pra mode insiná aos meninos e meninas das escolas púbricas toda essa minha prosopopeia e latomia. Quem sabe num me dô bem fazeno livro pro MEC?

    E por falá em barbuleta, abra o ôio, seu Migué!
     

     Leave a reply