• CÂMARA DOS PAPUDOS FEDERAIS

    Complexo Penitenciário da Papuda, presídio localizado no Distrito Federal.


    “A PAPUDA ESTÁ HOMENAGEADA”, DIZ MINISTRO SOBRE DEPUTADO PRESO QUE NÃO FOI CASSADO

    FOLHA DE S. PAULO / Severino Motta (Brasília) – O ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), criticou a decisão da Câmara dos Deputados, que manteve o mandato do deputado Natan Donadon (ex-PMDB-RO), preso desde o final de junho.

    “Agora temos essa situação de alguém com direitos políticos suspensos, mas deputado com mandato. A Papuda (presídio em Brasília onde está o deputado) que está homenageada. Vai causar inveja muito grande aos demais reeducandos”, disse.

    Câmara afronta decisão do STF e livra deputado-presidiário da cassação

    Mello ainda disse que a Câmara teria feito uma “leitura muito própria da Constituição”, uma vez que, em sua visão, o caso não deveria ser levado ao plenário. “Num caso como este cabe à Mesa Diretora da Casa declarar a perda do mandato, não levar à votação.”

    O ministro ainda lembrou que no julgamento do mensalão o STF determinou a perda dos mandatos dos deputados condenados, mas, como a nova composição do Supremo, com Roberto Barroso e Teori Zavascki, teve entendimento diferente no caso do senador Ivo Cassol (PP-RO), o assunto acabará sendo novamente discutido na corte. Até porque o deputado condenado no mensalão João Paulo Cunha (PT-SP) tratou desse tema em seu recurso.

    Por fim, Mello disse acreditar que o Brasil precisa de homens públicos que respeitem as leis. “O que penso é que precisamos amar um pouco mais a Constituição. Não precisamos de novas leis, mas de homens públicos que observem as existentes.”

    PRESO

    Encarcerado desde o dia 28 de junho após ser condenado pelo Supremo, Natan Donadon não teve o seu mandato de deputado federal cassado na noite desta quarta-feira (28).

    O resultado representa uma afronta ao STF e um prenúncio da resistência que a Casa deverá ter em cassar o mandato dos quatro deputados condenados no processo do mensalão.

    Na votação, que é secreta, o plenário da Câmara registrou apenas 233 votos pela cassação (24 a menos do que o mínimo necessário), contra 131 pela absolvição e 41 abstenções.

    A ausência de 108 deputados no dia que tradicionalmente há o maior quórum na Câmara também beneficiou Donadon. Presente no plenário, o deputado reagiu com um grito de “não acredito!”

    Apesar disso, o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), determinou o afastamento de Donadon, pelo fato de ele estar preso, e a convocação do suplente, o ex-ministro Amir Lando (PMDB-RO), para assumir o mandato.

    Condenado a mais de 13 anos de prisão pela mais alta corte do país pelo desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia de Rondônia por meio de contratos de publicidade fraudulentos, Donadon foi expulso do PMDB e estava isolado politicamente.

    Mesmo assim, vários fatores contribuíram para a reviravolta: insatisfação de deputados com o STF, corporativismo, apoio de da bancada religiosa – Donadon é evangélico – e de parlamentares da ala governista que não querem que os deputados condenados no processo do mensalão percam seus mandatos.


  • BOLÍVIA DERRUBA MÍSSIL BRASILEIRO

    Marines no Quartel General da poderosíssima armada de Evo Morales, à margem do lago Titicaca, observam o míssil brasileiro abatido.



    APÓS QUEDA DE PATRIOTA, SENADOR BOLIVIANO SUSPENDE VISITA AO SENADO

    UOL / Guilherme Balza (Brasília) – O senador boliviano Roger Pinto Molina, que fugiu da Bolívia e está asilado em Brasília, suspendeu a visita que faria ao Senado às 15h desta terça-feira (27). Estava prevista uma entrevista coletiva dele na Comissão de Relações Exteriores da Casa.

    O advogado Fernando Tibúrcio, defensor de Molina, entrou em contato com a comissão solicitando a suspensão para preservar o senador, após os desdobramentos causados pela fuga de Molina. Ontem à noite, o ex-ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota deixou o cargo após reunião com a presidente Dilma Rousseff.

    O advogado Fernando Tibúrcio, defensor de Molina, entrou em contato com a comissão solicitando a suspensão para preservar o senador, após os desdobramentos causados pela fuga de Molina. Ontem à noite, o ex-ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota deixou o cargo após reunião com a presidente Dilma Rousseff.

    O senador, cuja fuga foi o estopim da queda de Patriota, que tinha relação desgastada com a presidente Dilma Rousseff, ficou “contente” com a substituição de Antonio Patriota por Luiz Alberto Figueiredo no comando do Itamaraty, segundo informou na manhã de hoje o advogado Walter Bittar, que integra a equipe de Tibúrcio e está acompanhando o asilado nos últimos dias.

    “Ele ficou contente, não exatamente pela saída do Patriota, mas por achar que esta troca é uma luz no fim do túnel”, disse Bittar, que trabalha no escritório de Fernando Tibúrcio, advogado do senador boliviano e dono da casa onde ele está abrigado, no Lago Norte, em Brasília.

    Molina estava asilado há mais de 450 dias na Embaixada brasileira em La Paz. Na tarde de sexta-feira (27), , encarregado dos negócios e titular interino da representação do Brasil em La Paz. Sob escolta de dois fuzileiros navais, eles deixaram a capital boliviana, percorreram 1.500 km em 22 horas até chegar a Corumbá, no Mato Grosso do Sul, perto da fronteira.

    De lá, foram acompanhados por agentes da Polícia Federal e seguiram de avião até Brasília, onde desembarcaram na madrugada de domingo (25). Opositor do governo de Evo Morales, Molina foi condenado em primeira instância por corrupção e é acusado por vários outros crimes.

    A fuga foi planejada à revelia do Itamaraty, segundo afirmou Saboia, que está afastado da função até que o ministério conclua a sindicância para apurar a conduta do diplomata. Saboia disse que tomou a decisão de fugir com o senador por temer pela saúde do asilado, que apresentava quadro de depressão e ameaçava se suicidar, de acordo com o diplomata.

    Segundo Walter Bittar, o senador aparenta estar bem, mas não deixou a casa onde está abrigado para fazer exames médicos em função do assédio de jornalistas. “Ele está tomando medicamentos e está em repouso até ter condições de ir ao médico.”

    De acordo com o advogado, Molina ficará na casa de Tibúrcio por tempo indeterminado. Os familiares do parlamentar boliviano fugiram para o Acre no final de 2012. Também não há previsão da data em que os parentes de Molina viajarão a Brasília para encontrá-lo.

    Senador é acusado de corrupção

    Acusado de diversos crimes de corrupção na Bolívia, Molina refugiou-se na embaixada brasileira em La Paz em 28 de maio de 2012. Após dez dias de ser recebido na embaixada, o governo brasileiro concedeu ao senador o status de asilado político.

    Em junho, o político foi condenado a um ano de prisão por um tribunal boliviano, que o declarou culpado de danos econômicos ao Estado calculados em cerca de US$ 1,7 milhão. Molina também é acusado de participar do assassinato de camponeses em 2008, entre outros crimes.


  • “A SELVAGEM DA MOTOCICLETA” (*)

     

    DILMA DRIBLOU SEGURANÇAS E SAIU DE MOTO PELAS RUAS DE BRASÍLIA, DIZ MINISTRO

    FOLHA DE S.PAULO / Valdo Cruz e Andréia Sadi (Brasília) – “Coloquei o capacete e saí andando de moto pelas ruas de Brasília.” A revelação, com ares de felicidade, foi feita de forma absolutamente casual pela presidente Dilma Rousseff a um incrédulo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA).

    “Eu também não acreditei na hora, mas, quando encontramos o Amaro no elevador, passei a acreditar”, disse o ministro, ao perceber a reação dos repórteres à história. A conversa, segundo Lobão, ocorreu durante um encontro na semana passada.

    Lobão se referia ao chefe da Segurança Presidencial, general Marcos Antônio Amaro, com quem ele e Dilma esbarraram ao final da conversa. Dilma foi logo se gabando: “Nem ele ficou sabendo”, disse, confiante de que sua escapada havia sido sigilosa.

    O general surpreendeu a presidente. “Fiquei sabendo, sim, mandei acompanhar a senhora”, foi logo dizendo o chefe da segurança de Dilma, informando que havia orientado uma equipe a segui-la à distância para não acabar com o sentimento de que estava fazendo uma aventura às escondidas.

    Como se queixam alguns ex-presidentes, no Brasil o governante acaba desaprendendo a abrir portas com a própria mão.

    Ao relatar sua experiência, cuja data não foi revelada, Dilma contou ao ministro sua sensação de andar de moto pela capital: “Senti melhor os ares de Brasília”.

    Foi um elogio poético, dado que a cidade passa pelo seu tradicional período de seca, quando a umidade do ar chega a níveis saarianos.

    É incerto se Dilma estava na garupa de alguém ou se arriscou-se a pilotar. Segundo o Palácio do Planalto, que não comentou a estripulia, a presidente não tem carteira de habilitação nem sabe dirigir motocicletas.

    Ainda surpreso pela revelação, Lobão cobrou da presidente os riscos de segurança envolvidos no hobby: “A senhora não tem de se preocupar só com você e a Paula (filha da presidente), tem de se preocupar também com 200 milhões de brasileiros”.

    Dilma sorriu, agradeceu a preocupação do ministro, mas disse: “A vida é cheia de riscos. Tudo que se faz na vida importa riscos”.

    Ao ouvir da Folha o relato de Lobão, um ministro próximo de Dilma mostrou-se descrente. “A presidente, andando de moto? Não acredito”, disse. Mas há precedente na relação da mandatária com as máquinas.

    O secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, Carlos Gabas, é um apaixonado por motos. Dono de uma Harley-Davidson, marca mítica norte-americana, ele conta que Dilma não só pediu para subir no modelo como posou para fotografia.

    A fuga não é inédita. Como lembrou Lobão, o general João Batista Figueiredo (1918-1999) costumava deixar os seguranças loucos ao escapar para voltinhas de motocicleta durante sua Presidência (1979-1985).

    “Foi uma aventura da presidente. Ela merece. O cargo limita muito as opções de lazer dela. Não dá para frequentar normalmente teatro, cinema, restaurantes”, disse.

     

    Nota do SDV ( * ): referência ao filme Rumble Fish (1983), do diretor Francis Ford Coppola, que no Brasil recebeu o título de ‘O Selvagem da Motocicleta’. O filme conta com poderoso elenco, com destaque para os nomes de Dennis Hopper (do clássico Easy Rider), Nicolas Cage, Mickey Rourke, Matt Dillon e Diane Lane.


  • “A SIERRA MAESTRA DA SAÚDE” (*)

    Os médicos cubanos (“de pés”) estão chegando para atender a população carente nos grotões e cu-de-judas do Brasil.

     

    DILMA DECIDIU TRAZER 4.000 MÉDICOS CUBANOS PARA COLOCAR O MAIS MÉDICOS ‘DE PÉ’

    FOLHA DE S. PAULO / UOL (Painel) – Cubanos na veia: a decisão de trazer 4.000 médicos cubanos para atuar no país foi tomada por Dilma Rousseff para colocar o Mais Médicos rapidamente “de pé”, nas palavras de um interlocutor palaciano. A avaliação é que, com a adesão a conta-gotas de espanhóis e argentinos, o programa só mostraria resultados a médio prazo. Como Dilma está convencida em transformá-lo em uma das marcas de sua gestão, os cubanos voltaram ao foco para garantir a rápida ida de médicos ao interior.

     

    Nota do SDV ( * ): ‘Sierra Maestra’ foi o local onde se desenvolveu o foco da guerrilha contra o governo de Fulgêncio Batista nos anos 50, organizado pelo comandante Fidel Castro e seus principais lugar-tenentes, como Che Guevara e Camilo Cienfuegos. Do interior do país conseguiram espraiar ‘la revolución’ por toda a ilha, até tomarem a capital, Havana, em 8 de janeiro de 1959.


  • RACHOU EM MOSCOU

     

          RACHA EM EQUIPE DO 4 X 100 M É EXPOSTO E PODE RENDER PUNIÇÃO A ATLETA

    UOL (São Paulo) – A equipe brasileira do revezamento 4×100 m feminino, formada por Ana Cláudia Silva, Evelyn dos Santos, Franciela Krasucki e Vanda Gomes, que não conseguiu terminar a decisão da prova no Mundial de Atletismo de Moscou, no último domingo, após deixar o bastão cair na última troca da prova, expôs o racha existente na chegada ao Brasil, nesta terça-feira.

    Ana Cláudia, segunda a correr pelo time brasileiro, fez questão de mostrar que considera Vanda Gomes, a corredora que fecharia o revezamento, culpada pela queda do bastão. O objeto caiu e causou a eliminação do Brasil quando Franciela Krasucki, a terceira, tentou passá-lo para Vanda, que não conseguiu segurar.

    “Não tenho o que falar dela (Vanda). Cada uma sabia o que tinha que fazer e responde por si próprio”, declarou ao chegar ao país. Quando perguntada se as atletas conversaram sobre a prova, mostrou como Vanda virou o alvo do grupo: “Conversamos eu, Evelyn e Franciela. Um grupo é algo unido. Ela não é unida com a gente.”

    Ana já havia sido a mais enfática nas entrevistas logo após a prova: “Não dá para explicar, não tem como admitir. Peço desculpas para a torcida, para os patrocinadores, para a Confederação”, falou ao SporTV.

    Vanda não correu as eliminatórias da prova, quando o Brasil quebrou o recorde sul-americano e garantiu vaga na decisão, na manhã do domingo. Ela substituiu Rosângela Santos, que havia fechado o revezamento na classificatória.

    Já no Brasil, ela não tentou justificar o ocorrido, preferindo citar seu passado. “Eu venho de seis Mundiais e sete finais. Não sou amadora como falaram por aí. E todas minhas conquistas vieram de treino. Não existe conquista sem treino. Gostaria de ter treinado mais”, declarou.

    A questão dos treinos foi citada após as declarações de Vanda logo após a final terem sido lembradas. Ela afirmou que ficou “40 dias comendo e dormindo mal” na Europa. As acusações fizeram a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgar uma nota oficial desmentindo as acusações da atleta (veja o comunicado abaixo) e também punir Vanda.

    Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o treinador-chefe da delegação do Brasil na Rússia, Ricardo D’Angelo, afirmou que a corredora será punida com afastamento de três meses a um ano. “O que ela fez foi muito grave. A comissão técnica entendeu as declarações dela como um ato de indisciplina, que não condizem com a verdade”, afirmou.

    Franciela também falou ao chegar ao Brasil. Ela evitou atritos com a companheira: “Entramos para fazer uma boa prova mas aconteceu um erro que nunca cometemos antes. Tem que pensar daqui para frente. E treinar mais para que não aconteçam esses erros”, opinou.

    A opção por Vanda na final foi feita no planejamento para a prova. Antes do Mundial, já havia sido definido que ela correria a decisão e que Rosângela participaria das eliminatórias. A razão, segundo D’Angelo, foi os tempos praticamente iguais feitos por ambas nos treinos.

    Só que a troca ocorreu mesmo após a equipe, com Rosângela, bater o recorde sul-americano do revezamento, ao marcar 42s29. O tempo daria a prata ao Brasil na final – os Estados Unidos, que ficaram com a medalha após a desqualificação da equipe da França, completaram a prova em 42s75.  Quando o bastão caiu, o Brasil corria praticamente empatado com a Jamaica, que ficaria com o ouro ao marcar 41s29.

    Veja abaixo o comunicado da CBAt:

    A Confederação Brasileira de Atletismo, tendo em vista as declarações da atleta Vanda Ferreira Gomes, integrante da Delegação Brasileira ao Mundial de 2013, após a final do revezamento 4×100 m feminino, neste domingo, dia 18, na última etapa do Campeonato, disputado no Estádio Olímpico de Moscou, tem a esclarecer o seguinte:

    1. A citada atleta, convocada pela CBAt, participou de camping de treinamento e competição na Alemanha, deslocando-se, depois, para à Delegação, para o período de aclimatação. Neste período, a equipe de revezamento participou de competições na Europa, inclusive na etapa da Diamond League de Londres. No intervalo das competições, o grupo fez treinamentos específicos de revezamento na Alemanha, sempre com suporte de equipe multidisciplinar da CBAt.

    2. Não recebemos nenhuma reclamação da citada atleta ou de qualquer outra pessoa do grupo sobre problemas com hospedagem e alimentação nesse período. Por sinal, no local, se encontravam outros atletas de ponta do Atletismo internacional.

    3. Em nenhum momento a citada atleta trouxe qualquer reclamação sobre eventuais problemas à Comissão Técnica da Delegação ou a própria CBAt.

    4. No dia 02 de agosto de 2013, a equipe de revezamento reuniu-se ao restante da Delegação, em Moscou, para o período de aclimatação prévio ao Mundial, tendo ficado hospedada no Hotel Cosmos, um dos hotéis oficiais do Campeonato, escolhidos pelo Comitê Organizador, conforme normas da IAAF. Neste hotel ficaram hospedados mais de 2.000 (dois mil) participantes do Campeonato, não havendo qualquer reclamação de nenhum país sobre as condições de hospedagem e alimentação, que atendeu as necessidades de todos os participantes.

    5. Além disso, a CBAt disponibilizou na Comissão Técnica da Delegação uma nutricionista, justamente com a finalidade de monitorar a alimentação dos atletas e, se fosse o caso, providenciar sua complementação. A citada atleta nunca entrou em contato com a nutricionista para qualquer assunto.

    6. Igualmente, a atleta se omitiu na aceitação do trabalho da psicóloga da Comissão Técnica, não apresentando nunca qualquer reclamação aos integrantes da Comissão ou da própria CBAt, presentes em Moscou, sobre o assunto.

    7. O treinamento da equipe de revezamento 4×100 m feminino do Brasil foi realizado no período prévio, na Alemanha, assim como em Moscou, dentro da programação elaborada pelo treinador responsável.

    Assim, causa estranheza à Confederação Brasileira de Atletismo e a Comissão Técnica da Delegação as declarações da atleta, as quais não correspondem à verdade dos fatos. Por outro lado, a CBAt considera os resultados da Seleção Brasileira no Campeonato Mundial de 2013 bastante satisfatórios, tendo seis atletas alcançado um lugar entre os oito primeiros em suas provas. A Seleção ainda foi finalista em duas provas de revezamento.

    Moscou, 18 de agosto de 2013

    Warlindo Carneiro da Silva FIlho
    Vice-Presidente da CBAt

    Antonio Carlos Gomes
    Superintendente de Alto Rendimento da CBAt


  • DILMINHA E O OVO NO FIOFÓ DA GALINHA

    A presidente Dilma Roussef no programa de Ana Maria Braga (Rede Globo) ensinando a sua receita caseira de omelete.

     

    NO ABC, DILMA DIZ QUE PRÉ-SAL VAI GERAR 112 BILHÕES PARA A EDUCAÇÃO EM DEZ ANOS

    UOL / Marcelo Moreira (São Bernardo do Campo) – A presidente Dilma Rousseff disse no começo da tarde desta segunda-feira (19), em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo), que os recursos do pré-sal para a educação chegarão a R$ 112 bilhões em dez anos. “Começam com R$ 1,4 bilhão em 2014, devem saltar para R$ 3 bilhões em 2015 e para R$ 6 bilhões em 2016, chegando a R$ 13 bilhões em 2018”, disse. “A perspectiva é de aplicar R$ 112 bilhões em dez anos.”

    A presidente também voltou a dizer que a inflação está sob controle e fechará o ano dentro da meta do governo. Ela defendeu a importância do pacto pela responsabilidade fiscal, que faz parte de um conjunto de medidas anunciadas por ela após manifestações populares de junho no país.

    Dilma tem declarado repetidamente que a inflação está sob controle. Em julho, ela atacou os “pessimistas” e disse que a inflação “vai ficar na meta”. A meta de inflação para 2013 e 2014 foi fixada em 4,5%, com intervalo de tolerância de dois pontos para mais ou para menos (ou seja, pode ir de 2,5% até 6,5%).

    A presidente reafirmou o compromisso do governo em aprofundar o pacto pela responsabilidade fiscal, que tem como objetivo manter as contas públicas em ordem, “o que ajuda a controlar a alta dos preços”. “A economia está nos trilhos, e cumpriremos as metas inflação.” Outra garantia dada pela presidente foi em relação a evitar perdas de direitos trabalhistas.

    “O governo é contra qualquer alteração na legislação que subtraia direitos e garantias aos trabalhadores e manteremos o veto sobre o fim da multa dos 10% do FGTS em caso de demissões sem justa causa pagos pelos empresários. Estes recursos são destinados a destinados a programas habitacionais. Não haverá por iniciativa do governo federal redução do direitos. Não vamos reduzir interesses dos trabalhadores e precarizar relações de trabalho. E vamos além: só discutimos propostas que não afetem a sustentabilidade da previdência e direitos de novos trabalhadores.”

    Mobilidade urbana

    No ABC, a presidente Dilma Rousseff anunciou o investimento de R$ 2,1 bilhões em obras de mobilidade urbana e moradias nas sete cidades do chamado Grande ABC. O valor incluir a liberação de R$ 793 milhões para a mobilidade urbana, com 134 quilômetros de obras viárias, sendo 84 quilômetros de corredores de ônibus no ABC paulista em um primeiro momento, com mais 85 quilômetros numa segunda etapa. Também serão investidos R$ 650 milhões para construir 8,5 mil moradias e R$ 104 milhões para contenção de encostas.

    Para agradar aos sete prefeitos, Dilma elogiou a existência do Consórcio Intermunicipal de Grande ABC, um fórum que reúne os sete administradores da região para planejar obras de infraestrutura em conjunto. “É um exemplo de como é possível planejar e executar investimentos conjuntos de forma racional e mais eficiente. É uma iniciativa que pode ser seguida por diversas regiões do país.”


  • UMA BOA IDEIA DO GOVERNO AMERICANO

     

                            GOVERNO DOS EUA ENFIM ADMITE: SIM, A ÁREA 51 EXISTE

    UOL / Ashley Feinberg – Hoje é um bom dia para acreditar em teorias da conspiração. Terminando um ciclo de décadas, com vazamento atrás de vazamento sem qualquer confirmação oficial, o governo dos EUA finalmente admitiu a existência da Área 51 – envolvida em inúmeras teorias conspiratórias sobre alienígenas e OVNIs.

    Ela aparece em um relatório da CIA cujo sigilo foi removido, detalhando a história do avião de reconhecimento U-2, usado durante a Guerra Fria.

    O Arquivo de Segurança Nacional da Universidade George Washington publicou o relatório, “A História Secreta do U-2“, e em suas páginas há inúmeras referências à Área 51. Ela era usada pelos EUA como uma área secreta de testes para o avião.

    Descrevendo como eles resolveram se estabelecer nessa área em particular, agora notória, o relatório afirma:

    Em 12 de abril de 1955, Richard Bissell e o coronel Osmund Ritland (o oficial sênior da Força Aérea na equipe de projeto) sobrevoaram o estado de Nevada com Kelly Johnson em um pequeno avião Beechcraft, guiado pelo piloto-chefe de testes da Lockheed, Tony LeVier. Eles avistaram o que parecia ser uma pista de pouso perto de um salar (planície de sal) conhecido como Lago Groom, perto do canto nordeste da Área de Testes de Nevada, da Comissão de Energia Atômica (AEC).

    Após desembarcar no leito do lago, o grupo concluiu que eles encontraram o lugar perfeito para hospedar seus testes secretos – e as teorias conspiratórias logo se formaram. Mas o nome Área 51 (que veio de sua designação no mapa) não é muito inspirado. Então, depois de obter a aprovação do presidente Dwight Eisenhower, eles resolveram usar um nome diferente. De acordo com o relatório:

    Os contornos da Área 51 são mostrados em mapas não-secretos atuais como uma pequena área retangular, ao lado do canto nordeste da (muito maior) Área de Testes de Nevada. Para fazer a base no meio do nada parecer mais atraente para os seus funcionários, Kelly Johnson a chamou de Paradise Ranch (Rancho do Paraíso), que foi logo encurtado para Ranch.

    A Área 51 não tinha sido oficialmente reconhecida até agora; no entanto, muitos já estavam plenamente conscientes de que ela era, de fato, algo bem real. Ainda assim, agora que o governo americano admite a existência da base, há uma enorme quantidade de documentos que logo deixarão de ser secretos – pois só tinham esse status por sua estreita conexão com a Área 51.

    Mesmo com esta nova revelação, porém, ainda há partes do relatório que foram censuradas. Então não percam a esperança, conspiracionistas: só porque nós não vimos qualquer menção de alienígenas ou OVNIs, ainda não quer dizer que isto não esteja escondido nessas palavras que o governo não ousou revelar. (Relatório da CIA via The Atlantic Wire)


  • A ‘ENTENDIDA’ DE VARA

                       A bela atleta russa Yelena Isinbayeva, campeoníssima do salto com vara.

     

    ISINBAYEVA DEFENDE LEI ANTI-GAY RUSSA E CRITICA ATLETA QUE PROTESTOU CONTRA

    UOL / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS (Moscou) – Ela é o grande nome do Mundial de Atletismo de Moscou, recuperou sua condição de estrela ao levar o ouro no salto com vara e é a imagem que representa a Rússia na competição que o país sedia. Mas não ficou longe das polêmicas mesmo assim: Yelena Isinbayeva, em entrevista coletiva nesta quinta-feira, defendeu a lei anti-gay do país europeu.

    Além disso, também criticou uma atleta que competiu com as unhas pintadas nas cores do arco íris, um símbolo da causa homossexual. “É desrespeitoso para com nosso país, com nossos cidadãos. Nós temos nossas leis e todos têm que respeitar. Quando vamos a outros países nós tentamos seguir suas regras”, declarou.

    Ela se referia a sueca Emma Green-Tregaro, que competiu nas eliminatórias do salto em altura com as unhas coloridas, em protesto à lei anti-gay russa, que proíbe todo ato de ‘propaganda’ homossexual ante menores.

    “Nós nos consideramos pessoas normais, vivemos os garotos com as garotas, as garotas com os garotos. Isso vem desde sempre”, completou a musa.

    Isinbayeva também é embaixadora das Olimpíadas de Inverno de 2014, que serão em Sochi, na Rússia. Ela disse esperar que a lei não cause um boicote à competição.

    “Claro que não suporto o boicote. Também sou contra essa polêmica e fico triste que atletas sejam envolvidos nela. Não estamos proibindo que alguém participe da competição mesmo que tenha relações fora das tradicionais”, finalizou a russa.


  • LAVA PÉ, DINHEIRO NÃO!

    O Papa Francisco na cerimônia religiosa do lava-pés, durante a semana santa (alguns dias após o começo do seu ministério), no centro de detenção Casal del Marmo, próximo à capital italiana. Além disso, quebrando a longa tradição, ele incluiu duas meninas entre os 12 menores infratores participantes do cerimonial, uma delas muçulmana.


    PAPA APROVA NOVAS MEDIDAS CONTRA A LAVAGEM DE DINHEIRO E O FINANCIAMENTO DO TERRORISMO

    UOL / EFE (Cidade do Vaticano) – O papa Francisco aprovou nesta quinta-feira (8) novas medidas para a prevenção e combate à lavagem de dinheiro, ao financiamento do terrorismo e à proliferação de armas de destruição em massa, informou a Santa Sé em comunicado.

    As novas iniciativas, aprovadas através de um “Motu Proprio” (documento papal), são uma continuação das já aprovadas em matéria de prevenção e luta contra atividades ilegais na área financeira e monetária pelo papa anterior, Bento 16, em 30 de dezembro de 2010.

    Entre as medidas está a criação do Comitê de Segurança Financeira do vaticano a fim de coordenar as autoridades competentes da Santa Sé e do Estado da Cidade do Vaticano na prevenção e luta contra a lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo e proliferação de armas de destruição em massa.

    Além disso, o documento “reforça” a função de vigilância e regulação da Autoridade de Informação Financeira (AIF) e cria a função de “vigilância prudencial” das entidades e organismos que desenvolvem “profissionalmente uma atividade de natureza financeira”, entre eles o Instituto para as Obras de Religião (IOR), o tão questionado banco vaticano.

    Com essa última iniciativa, de cuja execução será responsável também a AIF, o Vaticano responde a uma recomendação feita pela comissão Moneyval do Conselho da Europa, que já reconheceu que a Santa Sé percorreu um “longo caminho em muito pouco tempo” na luta contra a lavagem de capitais.

    “A promoção do desenvolvimento humano integral sobre o plano material e moral requer uma profunda reflexão sobre a vocação dos setores econômicos e financeiros e sobre sua correspondência como fim último da realização do bem comum”, afirma o papa em seu “Motu Proprio”.

    “Por esse motivo – prossegue – a Santa Sé, em conformidade com sua natureza e missão, participa dos esforços da comunidade internacional destinados à proteção e a promoção da integridade, estabilidade e transparência dos setores econômicos e financeiros e à prevenção e à luta contra as atividades criminosas”.

    Entre as medidas aprovadas por Francisco também está a extensão da aplicação das leis vaticanas nesta matéria aos dicastérios da Cúria Romana e a outros organismos e entes dependentes da Santa Sé, assim como às organizações sem fins lucrativos que tenham entidade jurídica canônica e sede no Estado do Vaticano.

    “Desejo renovar o compromisso da Santa Sé em adotar os princípios e executar os instrumentos jurídicos desenvolvidos pela comunidade internacional, adequando até mais a ordem institucional a fim da prevenção e da luta contra a lavagem, o financiamento do terrorismo e a proliferação de armas de destruição em massa”, comenta o pontífice argentino.

    As medidas chegam depois que em julho passado Francisco, eleito papa em março deste ano, deu mais um passo na reforma das instituições vaticanas ao criar uma comissão para as reformas da estrutura econômica administrativa da Santa Sé.

    A iniciativa se somou à composição, em abril, de um grupo de oito cardeais para o aconselharem na direção da Igreja e para que estudem um projeto de revisão da Cúria Romana; além da comissão de investigação criada em junho para reformar o Banco do Vaticano.


  • ‘IMAGINE’ SE TODOS FOSSEM KEITH RICHARDS…

                 O beatle John Lennon e o stone Keith Richards.

     

             QUINTO ‘JOHN LENNON’ É PRESO ESTE ANO PELA POLÍCIA EM MINAS GERAIS

    UOL / Carlos Eduardo Cherem (Belo Horizonte) – A polícia de Minas Gerais prendeu nesta quarta-feira (7), em Juiz de Fora (265 Km de Belo Horizonte), o metalúrgico John Lennon de Souza, 22, logo após internar o filho de dois anos na Santa Casa de Misericórdia, acompanhado da companheira Gláucia Aparecida, 26, madrasta do menino.

    A criança tinha diversos ferimentos, hematomas e arranhões e o casal recebeu imediata voz de prisão em flagrante pela PM (Polícia Militar de Minas Gerais). De acordo com a PM, o menino apresentava machucados recentes e antigos em todo o corpo, inclusive perto da genitália.

    Na delegacia, John Lennon Souza e Gláucia Aparecida foram autuados por tentativa de homicídio qualificado, por meio do emprego de tortura e crueldade. “É (um caso) delicado por causa da pouca idade da vítima. Mas, com base nos relatos obtidos até agora, será tratado como tentativa de homicídio”, afirmou o delegado Rogério Woyame.

    Após ser ouvido e negar as acusações, ele foi encaminhado ao Ceresp (Centro de Remanejamento do Sistema Prisional de Juiz de Fora), e a mulher, à Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires. O bebê continua internado na enfermaria infantil da Santa Casa. Seu estado é estável.

    Os outros quatro Lennons

    Em janeiro deste ano, a PM prendeu John Lennon Ribeiro Siqueira, 19. Ele foi detido após ter sido reconhecido como assaltante de uma casa lotérica, no bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte. Com ele e o comparsa que o acompanhava no assalto foi apreendido um revólver calibre 38.

    Suspeito do assassinato de sete pessoas, John Lenon Gomes Camargos, 22, com o nome grafado com um “n” só, foi preso também em janeiro deste ano.

    Em março, a Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais comunicou a prisão de John Lennon Fonseca Ferreira, 22, um dos criminosos mais procurados de Minas Gerais, em Contagem (região metropolitana da capital).

    O penúltimo homônimo do ex-beatle preso em Minas Gerais foi John Lennon dos Santos Martins, 22, também em março, acusado pela tortura de uma menina de 14 anos, no bairro Taquaril, também em Belo Horizonte.