• O OLHO GRANDE DE MUTUCA NO MEIO DO MUNDO AFORA…

     

    EUA PODEM VIGIAR ‘QUASE TUDO’ O QUE UM INTERNAUTA FAZ, APONTA DOCUMENTO

    FOLHA DE S. PAULO / UOL (São Paulo) – Edward Snowden, que revelou o esquema de monitoramento de telefones e dados de internet feito pelos EUA, colheu documentos sobre um programa que autoriza analistas da Agência de Segurança Nacional americana (NSA, em inglês) a buscar conteúdo e informações específica sobre um usuário de internet.

    Segundo reportagem do jornalista Glenn Greenwald publicada nesta quarta-feira pelo site do jornal britânico “Guardian”, o programa XKeyscore pode ver o histórico de navegação e quase tudo o que os internautas fazem em diversos portais.

    As informações podem ser obtidas através dos IPs (endereços de rede), telefones, nomes completos, apelidos de usuários e palavras-chave em diversas redes sociais e provedores de e-mail. O monitoramento ocorria em diversas centrais no mundo, uma delas em Brasília, segundo as apresentações da NSA.

    Através de uma das funções do programa, os agentes são capazes de ver o conteúdo de um chat ou de uma mensagem privada na rede social Facebook. Para isso, basta digitar o nome de usuário e a data da conversa desejada.

    De acordo com os documentos, todos esses dados confidenciais eram obtidos sem autorização judicial, com o preenchimento de um formulário on-line que poderia ser preenchido com uma justificativa vaga e autorizados por supervisores.

    “É muito raro que nossas buscas sejam questionadas e, quando são, normalmente os supervisores pedem algo como: “vamos aumentar essa justificativa”, disse Edward Snowden, em entrevista ao “Guardian” em junho, pouco após as revelações.

    ACESSO LIVRE

    Desse modo, os espiões obtinham dados confidenciais de monitoramento de informações, chamados de metadata, e também acesso aos conteúdos navegados pelos usuários. Do ponto de vista de armazenamento, o XKeyscore coletava as informações de forma contínua.

    Os conteúdos ficavam no sistema entre três e quatro dias, enquanto o monitoramento das atividades eram armazenados por um mês. Nos documentos, a NSA explica que, em alguns sites, os conteúdos só poderiam ser guardados por 24 horas.

    Qualificado pela NSA como parte de sua estratégia contra o terrorismo, a ferramenta foi útil para que os EUA prendessem 300 acusados de associação a grupos com planos contra os Estados Unidos. Não há informação sobre quantos usuários foram monitorados em todo o mundo.

    OUTRO LADO

    Em nota ao “Guardian”, a NSA diz que a ferramenta faz parte de uma de suas estratégias no combate ao terrorismo e que só é aplicada apenas contra “alvos legítimos dos serviços de inteligência internacional em resposta à necessidade de nossos líderes de proteger nossa nação e nossos interesses”.

    O órgão nega qualquer uso amplo e irrestrito do programa e afirma que ele é limitado aos funcionários autorizados para fazer essa tarefa, que passam por “múltiplas checagens técnicas, manuais e de supervisores para evitar o uso indevido”.

    “Todas as buscas de um analista da NSA são completamente auditáveis para garantir que estão de acordo com a lei. Esse tipo de programas nos permitem coletar informações que nos levem a desenvolver de forma exitosa nossa missão de defender a nação e proteger os Estados Unidos e nossos aliados estrangeiros”.


  • O VELHINHO DE NOVO NA VEIA…

    O poeta Mário Quintana estaria completando 107 anos neste 30 de julho.

     


    O POEMA DO AMIGO ( * )

    Estranhamente esverdeado e fosfóreo,
    Que de vezes já o encontrei, em escusos bares submarinos,
    O meu calado cúmplice!

    Teríamos assassinado juntos a mesma datilógrafa?
    Encerráramos um anjo do Senhor nalgum escuro calabouço?

    Éramos necrófilos
    Ou poetas?
    E aquele segredo sentava-se ali entre nós todo o tempo,
    Como um convidado de máscara.

    E nós bebíamos lentamente a ver se recordávamos…
    E através das vidraças olhávamos os peixes maravilhosos e terríveis cujas complicadas formas eram tão difíceis de
    [compreender como os nomes com que os catalogara Marcus Gregorovius na sua monumental Fauna Abyssalis.

     

    Nota do SDV ( * ): poema de Mário Quintana em Aprendiz de Feiticeiro / 1950.
    Sugestão de minha querida Alcione Maria. Muchos besos!


  • FILME QUEIMADO

    Foto de Hinotori no site HTFORUM.

     

    DA PÍFIA EMPÁFIA

    A pior coisa do mundo
    É o cabra precisar,
    Baba um e baba outro,
    Já não sabe a quem babar,
    Quando está por cima é besta,
    Por baixo, vive a chorar.

    Soriedem do Improviso ( * )

     

    Nota do SDV ( * ): Soriedem do Improviso é o codinome de José Belarmino de Medeiros, nascido no Sítio Trangola, em 29 de Julho de 1914, zona rural de Currais Novos (RN).

    Soriedem sobrevivia de fazer ‘repente’ nas feiras livres desde os 9 anos de idade. Era um ‘tirador de coco e de onda’, como ele mesmo dizia.

    Veio para Natal em 1933, após o serviço militar no Tiro de Guerra de Santana do Matos, terra de sua genitora.

    No pátio do velho mercado público da Cidade Alta, antiga Praça do Peixe (atual Shopping Popular ou Camelódromo, abrangendo também a agência do Banco do Brasil), Soriedem fez seu reduto, onde vendia, numa bancada de madeira coberta com lona puída, cachaça de cabeça e tira-gosto de avuête com farinha. Seu lema comercial para atrair os papudinhos de plantão era: “para cada talagada, lá vai uma embolada”.

    Na boquinha da noite de um sábado, no dia 23 de novembro de 1935, durante a eclosão da Intentona Comunista no velho 21º Batalhão de Caçadores (atual colégio Winston Churchill), Soriedem bebericava e versejava seus repentes, ‘fazendo pouco’ das palavras de ordens proferidas pelos revoltosos do “vinte e um”. Contestado pela maioria dos biriteiros das adjacências, ‘castigou’ pra cima de um dos ‘habituès’ da atual rua Dr. José Ivo, após ter a sua “função poética” desqualificada:

    “Agora vou embolá
    Seu comunista sacana
    O velho Beco da Lama
    Só tem cantador de fama
    Quando apareço por lá”.

    Esta foi sua derradeira glosa. Irado pela resposta malcriada e também pelo descaso de Soriedem com aquela precipitada quartelada que historicamente deu no que deu, o habituè do Beco, empolgado pelo alarido e estampidos ouvidos naquele mesmo instante na vizinha caserna sublevada pelos comunistas de Natal, desfere 3 tiros à queima-roupa no vate do Sítio Trangola. Após a queda fulminante do ainda moço poeta popular, o esquerdopata esbraveja, solidário com os revoltosos da ALN:

    – Viva a revolução!


    (Trecho ‘copidescado’ das “Cadernetas de Rocas Quintas”, Editora Sebo Nas Canelas – zero edição / 1967).


  • DILMARIONETE

    Pobre Dilma, fantoche de seu ‘João Redondo’ no Teatro de Bonecos da Presidência da República. Haja mamulengos!

     

                                   DILMA DECIDE COM LULA NÃO MEXER NA GESTÃO

    UOL / A TARDE (Por Vera Rosa e Tânia Monteiro) – A presidente Dilma Rousseff não cortará nenhum dos 39 ministérios nem pretende mexer no primeiro escalão agora. Em conversa de três horas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quarta-feira, 24, Dilma mostrou preocupação com a queda de popularidade do governo, observada após os protestos de junho, mas disse que não vai ceder, nesse momento, a pressões por mudanças na equipe.

    A portas fechadas houve muita reclamação sobre o comportamento do aliado PMDB e também do PT. Não foi só: Dilma pediu ajuda a Lula para “enquadrar” o PT, que, no seu diagnóstico, não está colaborando como deveria para defender o governo e o plebiscito da reforma política. Para a presidente, divisões na seara petista e o coro do “Volta Lula” prejudicam a governabilidade.

    Embora a última pesquisa Ibope, feita por encomenda da Confederação Nacional da Indústria (CNI), tenha sido divulgada nesta quinta, 25, Dilma e Lula já sabiam dos números quando se reuniram, em Salvador, para analisar o cenário político. Apreensiva, a presidente chegou a perguntar a auxiliares qual seria a repercussão na mídia da má avaliação do governo, em meio à visita do papa Francisco ao Brasil.

    O levantamento do Ibope-CNI mostra que o porcentual dos que consideram o governo Dilma “ótimo” ou bom” caiu de 55% para 31% em um período de um mês, após as manifestações de rua. Além disso, a avaliação pessoal da presidente despencou de 71% para 45% e metade dos entrevistados não confia nela.

    Segundo a reportagem apurou, Dilma e Lula expressaram contrariedade não só com o racha no PT, mas também com a atitude do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que pregou o corte de ministérios como solução para a crise política. A avaliação reservada é a de que o PMDB quer “surfar” na onda dos protestos.

    A proposta de Alves prevê o corte de 14 dos 39 ministérios. Sem mencionar o número de pastas que deveriam ser extintas e ressalvando que a decisão é de Dilma, o vice-presidente Michel Temer considerou “razoável” a ideia de diminuir o tamanho da Esplanada.

    Menos de uma semana depois, porém, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) afirmou que seu partido deveria entregar os cinco ministérios que ocupa (Minas e Energia, Previdência, Agricultura, Turismo e Secretaria da Aviação Civil) para dar o exemplo. “Há uma grande desfaçatez de líderes do PMDB, que exigem o enxugamento da máquina, mas não abrem mão de seus postos”, criticou Ferraço.

    O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), disse que o corte linear de cargos não é solução. “Não é reduzindo ministério que se dá eficiência à máquina pública. É preciso saber para que cada ministério foi construído e isso todos nós sabemos. Quando criamos a Secretaria para Mulheres, por exemplo, é porque sabíamos que era preciso ter foco no que foi abandonado ao longo da história”, argumentou ele.

    Wagner e o presidente do PT, Rui Falcão, participaram de uma parte da reunião entre Lula e Dilma. O ex-presidente contou como foi sua conversa, no fim de junho, com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), possível adversário de Dilma na disputa de 2014. Na avaliação de Lula, Campos só não lançou ainda a candidatura ao Planalto para não ficar com uma “flecha” sobre sua cabeça, sendo alvo de ataques.

    Apesar das queixas recebidas nos últimos dias sobre problemas na articulação política e na comunicação do governo, Dilma avisou que não fará mudanças sob pressão. Na prática, ela não quer mostrar fragilidade num momento em que a própria base aliada está conflagrada. Lula apoiou a decisão da presidente.

    Em conversas reservadas, porém, petistas próximos a Lula dizem que Dilma “passou do prazo” para promover uma reforma ministerial. Agora, ela planeja trocas na equipe no fim do ano ou até mesmo no início de 2014, pouco antes do prazo estipulado pela Lei Eleitoral para quem for candidato deixar o Executivo. (Colaborou Rafael Moraes Moura). As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.


  • PAPA DEFENDE A LIBERAÇÃO… DO GOL DE MÃO!

     

    ESPECIALISTAS DIZEM QUE PAPA CONFUNDE DESCRIMINALIZAÇÃO COM “LIBEROU GERAL”

    FOLHA DE S. PAULO / Marco Aurélio Canônico (Rio) – Especialistas que defendem a descriminalização do consumo de drogas ouvidos pela Folha lamentaram a posição do papa Francisco em seu discurso na noite de quarta-feira (24), no Rio, quando criticou iniciativas que estariam “deixando livre o uso das drogas”.

    “Lamentavelmente, o papa se equivoca ao relacionar as política antiproibicionistas com uma ideia de liberou geral, de anarquia, quando é justamente o contrário”, disse a socióloga Julita Lemgruber, coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Candido Mendes.

    “As pessoas que defendem a legalização a querem com regulação, com ação do Estado. Hoje, as drogas são proibidas e, mesmo assim, o consumo cresce no mundo.”

    A jurista Maria Lúcia Karam, membro da ONG internacional Leap (Law Enforcement Against Prohibition), disse que o papa “irá compreender, mais cedo ou mais tarde”, que os sofrimentos causados pela proibição são maiores do que os do vício.

    “Essa política de guerra às drogas é inconciliável com os valores cristãos. Ela provoca violência, morte, está enchendo os cárceres do mundo todo”, disse. “A legalização da produção, do comércio e do consumo de todas as drogas é fundamental para por fim a esses sofrimentos.”

    Os especialistas elogiaram a figura do papa, por seu perfil carismático e humanista, mas afirmaram que ele está mal orientado no tema.

    “Ele tem uma postura que é extremamente inspiradora e positiva e, por tudo isso, eu tinha uma esperança muito grande de que ele pudesse vir a se tornar uma liderança positiva nas áreas mais importantes da experiência coletiva global”, disse o antropólogo Luiz Eduardo Soares, ex-secretário nacional de Segurança Pública.

    “Essa opinião é profundamente equivocada. É muito bem intencionada, ninguém duvida, mas está na contramão do que os pesquisadores têm encontrado crescentemente. A proibição está na raiz de todos os problemas mais importantes e da violência associada às drogas.”

    Soares afirmou ainda que, em sua crítica, Francisco deixou de se referir a substâncias lícitas como álcool e tabaco, cujo consumo e a dependência estão muito mais disseminados entre a população, com maiores danos.

    “Se ele está convencido de que a proibição é necessária, teria, por uma questão lógica, de estendê-la ao álcool e ao tabaco. Será que o papa está disposto a arcar com o corolário da sua própria proposição?”, perguntou.

    Pedro Abramovay, professor da FGV-Rio e ex-secretário nacional de Justiça, fez uma interpretação positiva do discurso papal.

    “Me conforta ouvir que a maneira (de lidar com os usuários) que ele enfatiza é a do tratamento, da saúde, da caridade, e não a da prisão, que é o que vem sendo aplicado em boa parte da América Latina e do mundo.”


  • A REVANCHE DO LULOPETISMO COM DOMINGUINHOS

    Dominguinhos, um dos maiores músicos e compositores brasileiros de todos os tempos, partiu ontem (23/07/2013) para tocar sanfona nas caatingas celestiais.

     

    Considerações de Dominguinhos após ter sido ‘barrado’ na festa para Lula e Gonzagão, no dia 28 de dezembro de 2010, durante o lançamento do ‘Centro Cultural Cais do Sertão’, último ato do presidente em seu Estado natal.

    Abaixo, o trecho de um texto do jornalista e crítico musical José Teles, repercutido neste S.D.V no mesmo 28 de dezembro de 2010, cuja matéria original foi publicada no blog ‘Jornal da Besta Fubana’, também na mesma data:


    “Para eu tocar no Sítio da Trindade, foi preciso que um deputado, meu amigo, do próprio PT, intercedesse.

    Quer dizer, para eu tocar na minha terra é preciso interferência de alguém?

    Será que fiquei fora deste evento agora porque não apoiei a candidata do presidente?”, queixa-se Dominguinhos, referindo-se à sua participação na campanha de José Serra.

    “Eu não sou obrigado a gostar de Lula. Aliás, conheço ele desde o tempo de metalúrgico, quando estava em ascensão, várias vezes fizemos show para ele, eu, Gonzaguinha, Chico Buarque e outros”, faz questão de frisar.


  • RUMO ÀS PRAIAS DE HAVANA…

    “El Che Diego Armando Maradona Guevara Castro Chàves de La Serna, el Dio argentino y el pibe del papa Francisco”.

     

          EUA NEGAM VISTO, E MARADONA É IMPEDIDO DE VISITAR A DISNEY, DIZ JORNAL

    FOLHA DE S. PAULO / UOL (São Paulo) – O ídolo argentino Diego Maradona foi forçado a cancelar a sua visita à Disney com sua família por ter o seu visto negado pelos Estados Unidos.

    De acordo com informações do jornal inglês “The Sun”, Maradona fez um pedido à embaixada dos Estados Unidos em Dubai, onde estava, para visitar o parque temático na Flórida, mas foi impedido de viajar por uma “decisão política”, disse uma fonte não identificada pelo jornal.

    “Sua relação com os Estados Unidos nunca foi boa. Sua amizade com Fidel Castro, Hugo Chávez e outros inimigos dos EUA já o impediu de conseguir (o visto) em outras ocasiões”, disse a fonte.

    A intenção de Maradona era a de ir à Disney com seu neto, Benjamín Agüero, filho do atacante Sergio Agüero, do Manchester City, sua filha Dalma e sua noiva, Rocío Oliva.

    “Foi um chute no dente de Diego (Maradona). A família estava realmente empolgada para as férias”, afirmou a fonte citada pelo “The Sun”.


  • FAVELA DO PASSA CHICO

     

    DOIS MESES APÓS ANÚNCIO, APENAS ÁREA POR ONDE PAPA PASSARÁ RECEBE MELHORIAS EM FAVELA DO RIO

    UOL / Paula Bianchi (Rio) – Em maio, quando a favela da Varginha, no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro, acabava de ter sido anunciada como um dos destinos do papa Francisco na cidade durante a Jornada Mundial da Juventude, o clima geral no local era de expectativa. Esgoto, asfalto, lixo – dali em diante, tudo iria melhorar. Mais de dois meses após o anúncio, apenas a área por onde o papa vai passar recebeu melhorias.

    Fora as caçambas de lixo, que substituíram os antigos tonéis, e o asfalto, que teve seus buracos remendados e os quebra-molas varridos, Varginha segue quase a mesma. A mudança mais notável na comunidade é na frente da Capela de São Jerônimo, na entrada da comunidade, que ganhou um meio fio e calçamento novos. “Mas bem ao jeito deles”, como explica o carpinteiro José Costa, 67, um dos responsáveis pelo espaço.

    A igrejinha recebeu ainda uma nova imagem de São Jerônimo e um cartaz de boas vindas ao papa com o símbolo da Jornada Mundial da Juventude, que começa no dia 23 e, além do pontífice, deve levar ao Rio cerca de 2 milhões de fiéis. A outra capela da favela, não santificada, acabou ignorada.

    “O papa vai trazer uma marca de fé, de esperança. Agora, legado mesmo não vai ficar quase nada fora um que outro buraco tapado”, diz Costa, referindo-se à rua, que, apesar do calçamento recauchutado, alagou no domingo (14), quando a cidade enfrentou uma pancada forte de chuva. Na época da primeira visita da reportagem, asfalto e esgoto eram as prioridades apontadas pelo marceneiro.

    O campo de futebol, escolhido para acolher a missa campal do papa e onde é possível vislumbrar ao longe o Cristo Redentor, e o rio que separa a comunidade da favela vizinha Mandela de Pedra também não tiveram muita atenção. Segundo os moradores, mexeram apenas na iluminação do campinho e melhoraram a ponte, que agora conta com um corrimão azul royal.

    “Queria que tivessem feito uma coisa mais bonita, ajeitado esse lugar melhor, mas não foram muito além da entrada”, reclama Estevão da Costa, 86. Ainda assim, ela é pura ansiedade. “Estou contando os minutos pra chegada do papa”, diz, frente à sala toda decorada com imagens de santos.

    Apesar de ter recebido uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) em janeiro, o clima em Varginha é tenso – até pouco tempo atrás, a região era conhecida como faixa de Gaza por causa da violência. Enquanto a reportagem visitava a comunidade, um motociclista parou e alertou que era melhor evitar fotografias. Além disso, diversos moradores evitaram entrevistas.

    Na segunda-feira (15), a favela recebeu ainda a visita da Polícia Federal, que trabalha no reconhecimento do espaço que, assim como os outros lugares que devem receber o papa, teve o policiamento reforçado.

    Um dos policiais militares que faziam a ronda na comunidade falava ao telefone e fazia graça ao constatar o temor dos agentes. “Eles estão morrendo de medo de caminhar por aqui”, confidenciou ao interlocutor no outro lado da linha. Ao UOL, no entanto, disse que não havia nenhum problema.

    Para um morador que preferiu não se identificar, a situação é simples. “Está pacificada, mas não está. É tudo muito recente, as pessoas seguem com medo.” A escolha de Varginha, localizada em uma das áreas mais pobres da cidade, foi orientação do próprio papa Francisco, que determinou a inclusão de encontros com a parcela excluída da população em sua passagem pelo Rio.


  • “E QUE ME SALTA AOS OLHOS A ME ATRAIÇOAR” (*)

     

                             GILBERTO CARVALHO DESCARTA VOLTA DE LULA EM 2014

    UOL – Valor On Line – O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, descartou, na terça-feira (9), a possibilidade de o PT tentar trazer de volta ao Poder o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso a presidente Dilma Rousseff não consiga recuperar a popularidade nas pesquisas.

    “Eu, que sou amigo pessoal do Lula, sei que ele aposta no governo da presidente Dilma. Quem já viveu aqui nesse palácio, como eu estou vivendo há 11 anos, já viu o balão subir e descer tantas vezes, então, tem que ficar muito sereno”, disse o ministro, que desde o início do governo trabalha no núcleo do Palácio do Planalto. “Ele (Lula) não tem nenhuma pretensão, nenhuma vontade de voltar. O que ele aposta é na vitória da presidente Dilma”, acrescentou.

    Gilberto Carvalho lembrou a crise política vivida pelo PT em 2005, em meio ao escândalo do mensalão, e quando, segundo ele, era “proclamado por vários editorialistas que o governo Lula tinha acabado e não teria reeleição”.

    O ministro afirmou que a orientação da presidente diante da crise política atual é de busca por resultados, semelhante à orientação dada por Lula em 2005, quando o então presidente orientou sua equipe a “não dar tanta importância à bolha política”. “Tem que ter muita serenidade agora”, disse o ministro.

    Popularidade

    Carvalho reconheceu que houve uma queda significativa na popularidade da presidente Dilma em pesquisas de avaliação recentes, mas afirmou que o governo trabalha com a perspectiva de que, em até seis meses, caso a economia consiga se recuperar conforme pretende o governo, “o quadro será bem diferente”, sobretudo com a reação da presidente Dilma à onda de protestos que ocupou as ruas do país no último mês. “Não fomos insensíveis àquilo que as ruas disseram”, afirmou ele.

    Conforme revelou o Valor nesta terça, Lula tem ouvido, nos últimos meses, queixas de empresários, petistas e aliados quanto à postura da presidente.

    As reclamações vão da condução da economia à articulação política, passando pela maneira como Dilma trata ministros, assessores e políticos aliados. Assim, com a finalidade de salvar o projeto político do PT, o ex-presidente poderia se apresentar para a disputa presidencial caso a presidente Dilma não consiga recuperar a popularidade.

    Questionado se o ex-presidente Lula ainda seria um “reserva no banco” do time petista, expressão usada pelo próprio ministro, Carvalho disse que “a titular está muito bem”.  “É um reserva que não foi chamado”, disse o ministro.


    Nota do SDV ( * ): verso de ‘O Que Será’ (À Flor da Pele), de Chico Buarque (1976). Uma ‘pérola’ para a presidente Dilma.


  • O FIASCO DA PELEGADA

             “La furia del sindicalista guevarista bolivariano peleguista brasileño de mierda”.

     

               MANIFESTANTES GANHAM ATÉ R$ 70 PARA IR A ATO SINDICAL NA PAULISTA

    FOLHA DE S. PAULO / Paulo Gama, Ricardo Gallo e Flávio Ferreira (São Paulo) – Numa rua atrás do Masp, um grupo de 80 pessoas com camisetas da UGT (União Geral dos Trabalhadores) espera em fila a vez de preencher um papel. Trata-se do recibo de que ganharão R$ 70 por terem participado, vestidos como militantes, do ato de ontem na avenida Paulista.

    A Folha presenciou a entrega do recibo, que se deu por volta das 15h, quando a manifestação acabou.

    Dar dinheiro foi ‘humanitário’, diz recrutador de manifestantes

    Mulheres de 30 e 40 anos e rapazes com aparência de pós-adolescentes entregavam uma pulseira numerada que usaram na manifestação a um homem de agasalho, que perguntava o nome da pessoa, preenchia o recibo e o entregava aos presentes.

    No documento, consta que o pagamento é uma ajuda de custo para alimentação e transporte. Na parte de cima do papel, há impressa a data e o nome da manifestação: “11 de julho – Dia de Luta”.

    Em duas ocasiões, pessoas que organizam o grupo abordaram a reportagem e pediram para que deixasse o local.

    Na fila, as pessoas confirmaram que não tinham relação com sindicatos filiados à UGT e que foram ao ato apenas para receber os R$ 70. Com medo de represálias, não quiseram dar o nome.

    A UGT é presidida por Ricardo Patah, sindicalista filiado ao PSD, partido do ex-prefeito Gilberto Kassab. Ele negou que a central tenha pago manifestantes.

    QUAL SINDICATO?

    A UGT não foi a única central a ter pessoas que receberam dinheiro. A Folha falou com um rapaz e uma mulher com camisa da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros):

    Folha – A que sindicato você pertence?

    Rapaz – Ixi… Qual o nosso sindicato mesmo (pergunta para a mulher ao lado)?

    Mulher – Este aqui, olha: CSB (e aponta para a camisa que vestia).

    Folha – Mas o CSB é uma central sindical. Qual o sindicato específico?

    Mulher – O dos trabalhadores… (Não existe um sindicato que represente genericamente “trabalhadores”).

    Depois, ela declarou que foi à Paulista por R$ 50.

    Em seu site, o CSB elenca como afiliados, por exemplo, o sindicato dos trabalhadores de processamento de dados do Estado, entre outros.

    O dirigente da entidade presente à passeata negou pagamento aos militantes.

    Tanto os manifestantes da UGT quanto os da CSB ficavam, com bandeiras e balões, diante do caminhão em que foram feitos os discursos.

    Ao final do ato, militantes de outras centrais sindicais rumaram para a Consolação. Instados a continuar por pessoas com bandeira do PCO (Partido da Causa Operária) – de ideologia comunista trotskista -, os militantes da CSB e da UGT se recusaram: queriam ir embora.