• TEM CULPA EU?

    boyzinho pegador           “Boyzinho pegador”

     

                              INFIDELIDADE É HEREDITÁRIA NOS HOMENS, DIZ ESTUDO

    UOL – A herança genética é um ingrediente poderoso em nossas características. É ela que define olhos, cabelos, predisposição para algumas doenças e até cafajestice. Isso mesmo, você leu certo, pesquisa recente acaba de provar que homens infiéis tendem a herdar de seu pai o gosto pelo adultério. Aí vai nossa dica, antes de engatar um romance sério, faça questão de conhecer o sogro.

    O estudo realizado na República Checa reuniu 86 casais, que foram questionados sobre confiança, antecedentes familiares e infidelidade. Os resultados mostraram que a traição era comum em ambos os sexos, mas somente nos homens a figura paterna era determinante do comportamento. Nas mulheres, o fato de as mães serem infiéis não influenciava a prole.

    Em reportagem no site do jornal inglês The Daily Mail, Jan Havlicek, responsável pela investigação, disse que isso acontece porque eles crescem tendo o pai como referência de comportamento. Por que isso não acontece com as mulheres? Ainda de acordo com Havlicek, a diferença é que eles traem não por estarem insatisfeitos com o relacionamentos, mas porque querem sexo. Já a ala feminina tende a procurar outros parceiros somente quando o romance não vai bem.

    Martie Hasleton, psicóloga da Universidade da Califórnia, também buscou interpretar os resultados da pesquisa. Segundo ela, a explicação genética está ligada à boa aparência, o que aumenta as possibilidades de flertes extra-oficiais para eles. Mulheres atraentes, por sua vez, se comportariam de forma diferente ” Elas provavelmente vão buscar um companheiro de alta qualidade, ao invés de vários.”, disse em entrevista ao jornal inglês.
     

  • “ASSINOU E NÃO TRAGOU…”

    fernando-henrique                       FHC e a atriz Christiane Torloni

     

                FHC VOLTA A DIZER QUE ASSINOU SEM LER DECRETO DE SIGILO ETERNO

    FOLHA.com / Breno Costa (Brasília) – O ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso voltou a afirmar nesta quinta-feira que assinou o decreto que cria o sigilo eterno em relação a determinados documentos produzidos pelo governo sem saber do que se tratava.

    “Fiz sem tomar conhecimento. Foi no último dia do mandato, tinha uma pilha de documentos e eu só vi dois anos depois. O que é isso? Mandei reconstituir para saber o que era”, afirmou FHC ao chegar ao gabinete do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

    O fim do sigilo eterno está em discussão no Senado. Inicialmente apoiado pela presidente Dilma Rousseff, o projeto sofre resistências dos ex-presidentes Sarney e Fernando Collor. Dilma recuou, mas depois voltou atrás e agora volta a trabalhar pela aprovação do projeto.

    Segundo FHC, a presidente hoje já tem o poder de acabar com o sigilo eterno.

    O tucano, que acaba de completar 80 anos, será homenageado hoje no Senado. Um auditório da casa foi todo decorado com painéis que classificam FHC de “estadista do novo Brasil”.
     

  • “VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR!…”

    Ringo+Starr+0580                                Ringo Starr

                      RINGO STARR ANUNCIA SETE SHOWS NO BRASIL EM NOVEMBRO

    AGÊNCIA ESTADO – Depois de Paul McCartney fazer show no Brasil, agora é a vez do ex-baterista dos Beatles, Ringo Starr, se apresentar no País. Ontem, a produtora Time For Fun anunciou que o baterista fará shows em Porto Alegre (10 de novembro), São Paulo (12 e 13), Rio de Janeiro (15), Belo Horizonte (16), Brasília (18) e Recife (20). A apresentação na capital paulista será no Credicard Hall. Clientes Credicard, Citibank e Diners poderão comprar os ingressos em pré-venda, entre os dias 11 e 17 de julho. A partir do dia 18, as vendas estarão abertas ao restante do público. Os ingressos podem ser comprados pelo 4003-5588 (válido para todo o País) ou pelo site www.ticketsforfun.com.br. Os preços ainda não foram divulgados.

    O baterista virá acompanhado da All Starr Band, uma banda composta por grandes músicos convidados por Ringo que tocam as canções dos Beatles e também composições próprias. Já fizeram parte desta banda músicos como Joe Walsh, Peter Frampton, Paul Carrack, entre outros.

    No Brasil, acompanharão Ringo os músicos Rick Derringer (guitarra e vocal), Richard Page (baixo e vocal), Wally Palmar (gaita e guitarra base), Edgar Winter (teclado), Gary Wright (DJ) e Gregg Bissonette (bateria).

    O repertório deverá privilegiar, principalmente, as canções que Ringo interpretava com os Beatles, como é o caso de “With a Little Help From My Friends”, “Yellow Submarine”, “Don’t Pass me By” e “Octupus Garden”, além de composições de sua carreira solo, como “It Don’t Come Easy”, “Photograph”, “Back Off Boogaloo”, “You’re 16” (You’re Beautiful And You’re Mine) e “The No No Song”. Esta será a primeira vez que Ringo Starr fará shows no Brasil. As informações são do Jornal da Tarde.
     

  • “EU SOU EU, NICURI É O DIABO” (*)

    Raul+Seixas++1                                  O mago enjoado, “Canceriano sem Lar”, Raul Seixas

     

                                                      66 ANOS DE RAUL SEIXAS

    WWW. ALEXMEDEIROS.COM. BR (Natal) – O maluco beleza faria hoje 66 anos. Morreu em agosto de 1989. Evidente que seus muitos fãs, de todas as idades, encontrarão um jeito todo próprio de festejar o ídolo e cultuar seu rico e instigante repertório, que segue atemporal.

    Raulzito foi a mais completa encarnação do rock no cenário nacional, a essência no sentido underground do movimento que a música americana lançou no planeta. Por favor, help, please, não tentem compará-lo ao rock de vitrine da década de 80.

    Se Erasmo Carlos representou a expressão genuína da ponte entre a geração beat e o rock, Raul Seixas foi a revolução rítmica e comportamental nos moldes de Elvis Presley e Rolling Stones, com direito ao slogan mickjaggeriano “sexo, drogas e rock n roll”.

    Bruxo, com um caldeirão de misturas impossíveis, Raul transformou-se numa usina musical que ligou elementos de rock e baião, bolero e blues, samba e be bop, folk e cordel. Compôs de tudo num processo louco e ininterrutpo, até morrer.

    Irrequieto e em permanente postura de contravenção, produziu canções que transmitiam com fidelidade seu espírito provocador e angustiado. Suas músicas foram válvulas de escape em anos de mordaça no Brasil. Foi o nosso raquítico “megafoneman”.

    Qualquer análise sociológica da produção e performance de Raul Seixas a partir da sua aparição no Festival Internacional da Canção, em 1972, com a canção “Let me sing my rock n roll”, e logo depois com a explosão de “Ouro de Tolo” no programa Flávio Cavalcanti, verá o fator psicológico da sua rebeldia num Brasil de ditadura.

    Similar a Bob Dylan, que sempre refutou o rótulo de artista engajado politicamente, Raul foi além das letras intelectualizadas e de duplo sentido de Chico Buarque ou Geraldo Vandré para peitar o regime autoritário. Botava a cara e a poesia.

    O povo cantou suas letras, entendendo perfeitamente o aspecto da desobediência ao stablishment da época. Peitou a censura, bateu nos ditadores, ironizou com o “milagre econômico” do presidente Garrastazu Médici e do ministro Delfim Netto.

    Também não deixou de cutucar a turma que encontrou nos protestos uma forma de vender sucesso, como no hit “Eu também vou reclamar” (vídeo abaixo), aonde sacaneia explicitamente com Sílvio Brito, o então maluco que depois encontrou Jesus, e que vendeu discos gritando “parem o mundo que eu quero descer”.

    Hoje, quando vejo figuras vendendo revoluções pelo Twitter ou outras redes sociais, dá vontade de cantar com Raulzito, “Mas agora eu também resolvi dar uma queixadinha…”. Pois é, como são chatas as barricadas em 140 caracteres.

    E o que sugere a vocês, leitores que curtem o maluco beleza, quando ele diz, lá daqueles anos que já se foram, “Todo mundo explica tudo, como a luz acende, como o avião pode voar”? Qualquer semelhança com as novas teses de tomada do poder pela internet é factível a boas gargalhadas, né não?

    Quem passou por Elvis Presley e imitou Bob Dylan, como ele, ou pelos Beatles, Rolling Stones, Tim Maia e Secos & Molhados, como eu, tem realmente muitos motivos para gargalhar nesses tempos de Luan Santana, Paula Fernandes e Maria Gadu.

    Sem deixar de lembrar que Delfim Netto continua muito vivo entre nós e tornou-se guru e referência do PT de Luiz Inácio e Zé Dirceu, estes as novas versões de Lênin e Stálin a provocar fanatismos midiáticos do Oiapoque ao Jiqui.

    E no jornalismo bajulatório do PIG – Partido da Imprensa Governista – entre os blogueiros progressistas e as espécies “nassifirinas”, vegetam ainda os silvios britos retroativos a resmungarem besteiras. Viva Raul, sempre!

     

    Nota do SDV ( * ): música de Raul Seixas classificada em 4° lugar na final do VII Festival Internancional da Canção – Fase Nacional / 1972. Raul também emplacou “Let Me Sing, Let Me Sing” em 3° lugar no mesmo festival (parceria com Nadine Wisner). O então Jorge Ben, hoje Benjor, ficou em 1° lugar com “Fio Maravilha”, na voz de Maria Alcina.

     


  • SARAVÁ PRA QUEM É DE SARAVÁ

    gilberto_gilSó para não passar em branco o aniversário do soteropolitano, do bairro de Tororó, o ex-ministro da cultura do governo Lula, Gilberto Passos Gil Moreira – um dos maiores músicos e compositores da história ‘defe paísf’ – que aniversariou neste domingo, 26.

     

    Após a volta de Gil e Caetano do exílio londrino, o negão se apresentou no Teatro Alberto Maranhão, em Natal. Casa cheia e a malucada da época, pra variar, não tinha grana para comprar os ingressos. Decisão radical: arrombamos uma das portas laterais do velho teatro e entramos na base do rolo compressor, atropelando dois seguranças, e fomos lá pra cima do ‘puleiro’, de onde não arredamos o pé. O dramaturgo Racine Santos interveio junto à produção local para evitar a ocorrência policial, em plena época da ditadura militar. A solução foi vedar a porta e concentrar mais seguranças na área. Ficou valendo o “quem entrou, entrou; quem não entrou não entra mais”.

    Depois de apresentar alguns sucessos de seu vastíssimo repertório, Gil começou um ‘violado’ (sem acompanhamento da banda), alterando a afinação do violão, gerando um som de sitar indiano. Uma sonzeira contagiante, com o ‘futum’ de maconha comendo solto lá em cima, onde estávamos, e se alastrando por todo o teatro. Neste clima, saquei uma flauta doce de madeira da surrada bolsa a tiracolo e comecei a interagir com Gil, causando um frisson no teatro com a óbvia cumplicidade do baiano. Rolou legal alguns minutos até que o tropicalista exclamou, de forma afável e incentivadora:

    – “Ehhh, tem gente aparecendo aí!…”

    Foi o suficiente para alguém lá da patotinha do gargarejo, que tinha comprado ingresso caro, arrematar, raivoso e moralista, apoiado por algumas palmas da claque amiga:

    – “Muito bem, Gil!!!”

    O negão não deixou barato e sapecou:

    – “Calma, genteeee… só estou brincando com o menino!…”

    A rebordosa solidária foi bem maior e boa parte do teatro ‘veio abaixo’, com gritos, assobios e palmas com sabor de revanche, além do irônico troco de “muito bem, Gil!!!”

    O otário ‘reaça’ e despeitado ficou invocado comigo. Acha (ainda) que eu fui o responsável pela frustração dele diante dos amiguinhos ‘burgueses’, como dizíamos na época.

    Até hoje, mesmo mudando de instrumento musical, migrando para a gaita ‘bluesy’ (diatônica), sempre que toco ou escuto o blues de Mel London, “Messin’ With The Kid”, preferencialmente com Buddy Guy e Junior Wells, lembro daquela noite no teatro Alberto Maranhão e da generosidade deste monstro da música universal, o genial Gilberto Gil.

    Longa vida e ‘aquele abraço’.
      

    (GM)
     

  • NORWEGIAN WOOD (*)

    altar-sex

     

                       CASAL É PRESO POR FAZER SEXO EM CATEDRAL NORUEGUESA

    Vírgula / UOL – Um casal foi preso após fazer sexo em frente ao altar da Catedral de Oslo, na Noruega. Os dois abusadinhos, que são ativistas ambientais, tiraram completamente as roupas e começaram a se beijar e fazer um pouco mais no chão do altar da catedral. Para a tristeza do casal, um padre viu, chamou a polícia e interrompeu o ato.

    Os ativistas estavam fazendo uma campanha para o grupo “Faça Sexo pelas Florestas” (“F**k for Forests”). O grupo acredita que fazer sexo em lugares públicos causa indignação e faz aumentar a preocupação com o desmatamento nas pessoas. Vai dizer que você também não pensou nisso?

    Agora fica mais “picante”! Uma terceira pessoa envolvida foi encontrada junto com o casal. O terceiro elemento estava tirando fotos do ato sexual dentro da catedral e também foi preso.

    “Nós prendemos três pessoas envolvidas em uma atividade sexual em frente ao altar da Catedral de Oslo”, afirmou o porta-voz da polícia. Os infratores, porém, já estão soltos. Eles preferiram pagar a fiança e sair da prisão agora. “Nós tivemos que pagar uma pequena fiança para não precisar passar 16 dias na cadeia, é muito tempo para ficar sem sexo”, disseram os ativistas não identificados.

     
    Nota do SDV ( * ): Canção dos Beatles (Lennon – McCartney)
    Video raro de 1966: http://www.youtube.com/watch?v=N3cUejOltsA&feature=related

     


  • “DE CUMADE DILMA PRÁ CUMPADE INÁÇO”

    lula-quadrilha3


                                               
                                                DIA NACIONAL DO QUADRILHEIRO

    Blog Overmundo / Abílio Neto (Recife) – Está aí uma coisa que me emocionou: a presidente Dilma ter sancionado essa lei que instituiu o Dia Nacional do Quadrilheiro. O Brasil precisava disso. Como se não bastassem as quadrilhas que temos, veio mais esse incentivo!

    Quem não se lembra da famosa quadrilha alagoana? Gerson Filho com seu fole de oito baixos tornou-se imortal com o seu clássico Quadrilha Brasileira.

    E Pernambuco? Ah, a terra de Gilberto Freyre é formidável em quadrilhas. Petrolina, às margens do Rio da Integração Nacional sempre nos proporcionou quadrilhas memoráveis. O sanfoneiro Targino Gondim é muito versátil e tanto anima as quadrilhas de Petrolina como as de Juazeiro. Isso quer dizer que o homem é o dono das margens do São Francisco. Serra Talhada é outra terra de grandes quadrilheiros. Quem poderá esquecer da Fazenda São Miguel? Até Luiz Gonzaga tocou lá. Quadrilhas inesquecíveis!

    O Maranhão também tem suas quadrilhas (e como as tem!), mas o povo de lá é chegado mesmo é num boi. O bumba-meu-boi de São Luís é famoso no mês de junho. É verdade que alguns quadrilheiros do Maranhão foram parar no Amapá e eu nunca ouvi dizer que no Amapá tivesse sanfoneiro para animar as quadrilhas. Perdoem-me a ignorância!

    O Ceará é outro grande centro do povo quadrilheiro. Há poucos dias falei do inesquecível sanfoneiro Julinho do Acordeon, excelente puxador (tocador) de quadrilha que lamentavelmente nos deixou.

    Não poderia deixar de lado as quadrilhas da Paraíba porque elas são imbatíveis pelo simples motivo de que são de lá os maiores sanfoneiros de oito baixos do mundo. Vocês já imaginaram uma quadrilha ao som do fole de Zé Calixto ou Geraldo Correia?

    Agora, sinceramente, ninguém ganha das quadrilhas de Brasília. Todos os quadrilheiros já chegam lá devidamente ensaiados e usando paletó e gravata. São quadrilhas sofisticadas, tanto que não são animadas por trio pé-de-serra, mas por trio-pé-de-cabra.

    Vocês estão me estranhando?

    As quadrilhas foram uma herança que a coroa portuguesa nos deixou. E eu acho que as quadrilhas brasileiras hoje em dia não perdem para nenhuma do mundo. Já não usamos nem as calças remendadas. Hoje os quadrilheiros vestem é Armani!

    Então, vamos arrastar os pés que a noite é d’água! Seu Luiz Gonzaga é quem vai tocar uma seleção de músicas apropriada às quadrilhas gravada em 1964. Essa sanfona de seu Luiz é que nem as jogadas de Pelé. Quem viu, viu, e quem não viu tem que lamentar. A sanfona de Gonzaga nós ainda temos a oportunidade de ouvir. As jogadas de Pelé que não foram filmadas devem ter ficado num lugarzinho especial da memória de cada freqüentador de estádio. Um time de futebol só faz sucesso quando se torna uma quadrilha harmoniosa. Por este raciocínio, Pelé e Luiz Gonzaga foram reis das quadrilhas. Mas quadrilhas do bem!

    Vai, no final, o meu reconhecimento à presidenta Dilma por ter sancionado uma lei tão importante. Vou até citar o seu número com a devida ementa para que vocês jamais se esqueçam dessa data:

    “LEI Nº 12.390, DE 3 DE MARÇO DE 2011 – Institui o dia 27 de junho como o Dia Nacional do Quadrilheiro Junino, a ser comemorado em âmbito nacional”.


  • “A REBELIÃO DAS MARCHAS” (*)

    ganjmaabe

     

              MARCHA PARA JESUS REÚNE 1,5 MILHÃO DE EVANGÉLICOS EM SÃO PAULO

    UOL / AGÊNCIA ESTADO – A 19ª edição da manifestação evangélica Marcha para Jesus que está acontecendo nesta quinta-feira (23), feriado de Corpus Christi, na zona norte de São Paulo, já reuniu 1,5 milhão de pessoas, segundo a Polícia Militar. A organização do evento fala em 5 milhões de participantes.

    Os fiéis saíram da praça da Luz, por volta das 10h, e percorreram cerca de 4 km até a praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira. Todo o percurso está interditado para o tráfego de veículos. A manifestação deve terminar só por volta das 21h e já reúne uma multidão. A polícia e a organização do evento ainda não têm uma estimativa do número de participantes.

    O evento é organizado pela igreja Renascer em Cristo e apoiado por outras organizações evangélicas. Em 2010, a marcha reuniu 2 milhões de manifestantes, segundo a Polícia Militar – a organização estimou o público do ano passado em 5 milhões. O recorde de público ocorreu em 2007, quando 3,5 milhões de evangélicos marcharam, de acordo com a PM.

    Segundo a organização, a marcha é realizada anualmente em mais de 170 países. Em São Paulo, o evento ocorre desde 1993. Na edição deste ano, haverá mais de 30 apresentações de artistas, entre eles Raul Gil, Chris Duran, Waguinho e Magno Malta, além de trios elétricos. A Marcha para Jesus está sendo transmitida ao vivo pelo site oficial do evento.

    A SPTrans (órgão municipal responsável pelos ônibus municipais) disponibilizou a Van Atende para transportar os deficientes físicos até a concentração.

    O terminal Armênia será desativado na quinta-feira, das 10h às 14h, e as linhas de ônibus serão desviadas para a ponte da Vila Guilherme, seguindo pela avenida Bom Jardim, ruas Araguaia, Canindé, Olarias, Pedro Vicente e avenida Cruzeiro do Sul. A engenharia de campo da CET irá monitorar o evento, orientando os motoristas e pedestres sobre rotas e bloqueios operacionais.

    Bloqueios

    Veja abaixo as vias que serão bloqueadas por conta da marcha e os desvios montados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

    • Avenida Tiradentes (entre a avenida do Estado e o túnel Tom Jobim, sentido Aeroporto, terá sua pista local interditada a partir das 6h e a expressa a partir das 9h;

    • A praça Campo de Bagatelle será interditada das 6h às 23h de quinta-feira;

    • A avenida Olavo Fontoura, entre a praça Campo de Bagatelle e a rua Professor Milton Rodrigues, será bloqueada das 9h30 às 15h de quinta-feira;

    • A praça Heróis da FEB e a avenida Santos Dumont, ambos os sentidos, serão bloqueadas no trecho correspondente entre a avenida Brás Leme e a rua Santa Eulália, das 22h de quarta-feira às 23h de quinta-feira.

    Desvios

    • O tráfego no sentido Norte-Sul será desviado pela avenida Brás Leme, seguindo pelas
    avenidas Rudge, Rio Branco e Rótula Central, ou para quem se destina à zona sul, pelas avenidas Abraão Ribeiro e Pacaembu; 

    • No sentido Sul-Norte, o motorista deve seguir pela pista local até a avenida Tiradentes, rua Pedro Vicente e avenida Cruzeiro do Sul;

    • A pista central da avenida Santos Dumont, sentido praça Campo de Bagatelle, terá seu trânsito desviado em direção à marginal Tietê (sentido Ayrton Senna).


    Nota do SDV ( * ): Blague com a ‘Rebelião das Massas’, obra prima de José Ortega y Gasset.
     

  • BABA DE BOICININGA

    inveja5
     
    A INVEJA
    Vicente Serejo ( * )

    A inveja mata. Pode acreditar. Começa com um gosto amargo na boca; depois deixa os olhos injetados, e, um dia, acaba invadindo as cavernas mais íntimas da própria alma. Quando chega lá, creia, não sai mais. Fica pregada. Se fosse só uma coceira braba, ainda talvez tivesse cura com um simples macerado da flora medicinal. Mas, é doença que tem peçonha e não larga. Porque a inveja, quanto mais velha mais inseparável. É como o lodo triste que cresce nas pedras do cais.

    Os invejosos não são narcisistas. Ao contrário. Se fossem, seriam identificados facilmente. Sobretudo, seriam inofensivos. A vaidade pode ser dissimulada e, quase sempre, é. Os invejosos não. São como ourives de jóias falsas: perfeitos. E por isso acabam escravos de si mesmos, afinal ninguém tem culpa. São vítimas de uma doença que não podem confessar. Vinho podre, tomado aos poucos, e assim não mata de vez. Vai destruindo lentamente e leva anos consumindo a vida.

    Os vaidosos são mais fáceis de compreensão. Muitas vezes são uns solitários nas cavernas da vida, com a alma pedindo glória ao mundo. O único pecado do vaidoso é ser personagem de si mesmo, quase sempre sem graça e sem força. Sem aquele sopro de vida que enobrece a arte da criação. Os invejosos, não. Destilam a triste incapacidade de amar e, mesmo quando simulam o amor, esgrimam a inveja. Dissimuladamente. E numa neurose refinada que nem Freud imaginou.

    A tragédia da inveja é tornar a vingança impossível porque quem inveja é algoz de si mesmo. Energia que não se volatiliza. Fica ali, como uma aura negra sobre a cabeça. Os invejosos são ratos raivosos roendo as próprias unhas, morcegos viciados na bile negra da morbidez. O invejoso tem dependência química da inveja, por isso a maldição de invejar não passa nunca. Mesmo quando realizam seus grandes sonhos, ainda assim invejam os pequenos sonhos dos outros. 

    Não há vida mais terrível que a dos invejosos. São atormentados não pelo que desejam ser e não conseguem, mas pelo que os outros são ou não são. Deu pra entender? E não vivem de bem com a vida com o fel no lugar da adrenalina. São ciumentos de amizades e cobradores de afeições. Há em suas almas uma necessidade neurótica de ser contra. Sempre. Num desespero sem sossego. Porque tudo nos outros incomoda. Tudo, tudo. A glória de ser ou a miséria de não ser. Tanto faz.

    A maldição da inveja é sua capacidade de dominar pela semelhança e, sobretudo, de não se deixar notar. Só pelos outros. Aqueles, os invejados. E é estranha porque é uma forma pervertida de admirar. Não há nada capaz de fazer um invejoso feliz. Nada. Mas ele sabe que a inveja sempre escapa. Do silêncio dos olhos; do riso falso; dos gestos e das palavras. Mas, é bom ter cuidado com os invejosos. São bichos de hábitos noturnos porque a inveja é como a noite: não tem quem pegue.


    Nota do SDV ( * ): Vicente Serejo é jornalista e escritor potiguar.
     

  • É TEMPO DE SÃO JOÃO, MAS EU FALO DE CARNAVAL

    bartola2Bartolomeu Correia de Melo, O “Bartola”, escritor e poeta potiguar falecido em 18 de junho de 2011.

     


    MEMÓRIA VIVA

    No corso da Deodoro
    (do Marista à Poti
    fazendo a curva em Lourival),
    entre fubicas enfeitadas,
    crianças fantasiadas
    e papangus de uma velha Natal,
    lá estava ele e seu sui generis material
    junto aos ‘Caboclinhos de Ceará Mirim’
    ou no meio dos foliões e da patrulha naval.

    Era Bartola e seu irreverente estandarte,
    uma ruma de cabaço pendurado
    e a legenda escrita à mão:
    “O Saldo do Carnaval”.


    (GM)