• COTA E BOLSA, BOLSONARO!

    Jair-Bolsonaro-preta-gil-cqc-racismo-01Deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), o inimigo nº 1 dos movimentos ativistas de homoafetivos e afrodescendentes.

     
    “Se alguém perguntar por mim
    (o que é que eu digo Jair?)
    Diz que fui por aí
    (fazendo o quê, negão?)
    Levando o violão embaixo do braço” ( * )


    PERGUNTAR TAMBÉM OFENDE?

    “Se o cara montar uma banda tipo “Só Branco Sem Preconceito”, “Raça Branca”, “Cidade Branca” ou “Branquitude Jr”, o cara será processado? Se alguém usar uma camiseta “Orgulho De Ser Branco” ou “100% Branco”, será processado e acusado de racismo? Se houver a passeata do “Orgulho Hétero”, todo mundo que estiver na mesma, verá o sol nascer quadrado?” (Comentário no site UOL)

    “Tenho só uma coisa a dizer: cadeia já! Espero que desta vez, esse crime que é racismo, não saia impune” (Seu Jorge, músico, no site UOL).


    Nota do SDV: O cantor e compositor carioca exige respeito até no nome: “Seu” Jorge.
    Que tal cantarmos “Burguesinha”, música “engajada” do mesmo Seu Jorge, para Preta  Gil, que já nasceu “preta” no nome?  

    Calma, negão. ‘Tu é Jorge’ mas não é Benjor!

    Aliás, como chamaremos, de agora em diante, o autor das obras do barroco em pedra sabão? Refiro-me ao genial escultor, entalhador e arquiteto mineiro, o mestre afrodescendente Antônio Francisco Lisboa. “Aleijadinho” soa preconceituoso e politicamente incorreto, não é mesmo?

    ( * ) Estrofe de “Diz Que Fui Por Aí”, música de Zé Keti e Hortêncio Rocha, gravação em pout pourri com Jair Rodrigues e Elis Regina (“Dois Na Bossa / 1965”).

     


  • DE COMO ADIAR O ENCONTRO COM A “MOÇA CAETANA”

    ALENCAR12luladrice                                    Elencar motivos:
                        “Não tenho medo da morte. Não sei o que é a morte, disse Alencar” 

    ariano                      Motivo ariano:
                          No SUS o povo conhece mais rápido a “Moça Caetana”.

    chico-anysio-professor_raimundo                      O SUSto de Chico Anysio:
                                                    E o tamanho do plano, òòò!!!



    Nota do SDV:  Para o jornal espanhol
    “El País”, José Alencar foi “o empresário que levou o operário Lula ao poder”.
    Portanto, meus fiéis e parcos leitores, corrigindo a velha dupla Marx e Engels:
    “TRABALHADORES E PATRÕES DE TODO O MUNDO, UNÍ-VOS!”

     

  • ENCONTRO…

    mar e estrela

     

    O AMOR AOS SESSENTA

    “Isto que é o amor (como se o amor não fosse
    esperar o relâmpago clarear o degredo):
    ir-se por tempo abaixo como grama em colina,
    preso a cada torrão de minuto e desejo.

    Ser contigo, não sendo como as fases da lua,
    como os ciclos de chuva ou a alternância dos ventos,
    mas como numa rosa as pétalas fechadas,
    como os olhos e as pálpebras ou a sombra dos remos

    contra o casco do barco que se vai, sem avanço
    e sem pressa de ausência, entre o mito e o beijo.
    Ser assim quase eterno como o sonho e a roda
    que se fecha no espaço deste sol às estrelas

    e amar-te, sabendo que a velhice descobre
    a mais bela beleza no teu rosto de jovem”. ( * )


    Nota do SDV ( * ): Poema de Alberto da Costa e Silva – Diplomata, poeta, ensaísta, memorialista e historiador. Nasceu em São Paulo/SP, em 12 de maio de 1931. Ocupa a cadeira nº 9 da Academia Brasileira de Letras desde 17 de novembro de 2000.

     


  • PRECONCEITO CONTRA O MACACO?

    macaco

    “Dizem que em 60 nego vai virar macaco
    Ora vejam só que grande confusão
    Se for verdade essa Operação Macaco
    Penca de banana vai custar um milhão.
    Quem mata um gato tem sete anos de azar
    Tem nego como o diabo fazendo tchuí-tchuí
    Se for verdade o que diz o profeta
    O que seria de Pelé ou do Didi?
    Nego é gente igual a gente
    Muito preto existe pra ninguém botar defeito
    Profeta toma jeito, cuidado com a negrada
    Se ela te pega vai dizendo, olha a papada!” ( * )

     

    APÓS DOIS GOLS, NEYMAR É HOSTILIZADO; CASCA DE BANANA É JOGADA NO GRAMADO


    UOL Esporte (São Paulo) – Neymar foi a estrela da vitória da seleção brasileira contra a Escócia, por 2 a 0, em Londres, mas definitivamente não estava em casa. Na saída do gramado do estádio Emirates, o jogador foi hostilizado pela torcida rival, que marcou presença nas arquibancadas.
    O público chegou a jogar uma casca de banana no gramado, que foi recolhida pelo volante Lucas ao fim da partida.

    “O racismo no mundo não tem mais espaço. Na Europa, que dizem ser o primeiro mundo, é onde acontece mais. Tem que mudar isso, hoje todo mundo é igual e é uma questão de respeito”, disse o camisa 5 de Mano.

    “Eram muitas vaias, até na hora de bater o pênalti estava o estádio inteiro vaiando. Esse clima do racismo é totalmente triste. A gente sai do nosso país, vem jogar aqui e acontece isso. É triste, prefiro nem tocar no assunto, para não virar uma bola de neve”, disse o próprio Neymar, em entrevista à TV Globo e ao Sportv

    Esta foi a segunda vez na mesma semana que um brasileiro foi hostilizado na Europa. O lateral Roberto Carlos, que defende o Anzhi, da Rússia, viu a torcida do Zenit lhe oferecer uma banana antes do jogo entre as duas equipes. Assim como Neymar, o jogador preferiu relativizar a importância do ocorrido.

    Os insultos deste domingo também não afetaram o jogo de Neymar. O atacante fez sua terceira aparição pela seleção profissional e já soma três gols. A partida deste domingo contra a Escócia, no entanto, pode ter um efeito especial.

    Esta foi a primeira partida profissional do jogador na Europa, e serviu como cartão de visitas do santista no Velho Mundo. Pela internet, jornalistas e até jogadores de outros países comentavam a atuação de Neymar.

    “Neymar, o garoto é legal. Parece um Cristiano Ronaldo jovem, ousado, showman… Muito ritmo e habilidade”, disse Rio Ferdinand, zagueiro do Manchester United e ex-capitão da seleção inglesa, em seu perfil do Twitter.

    “Desde a primeira vez que eu fui convocado, eu fui com o pensamento de fazer história na seleção do meu país”, disse Neymar, na saída do gramado. 

     
    Nota do SDV ( * ): Letra de “Operação Macaco”, frevo-canção de Sebastião Lopes e Nelson Ferreira, gravado por Nerize Paiva em 1959.
    É importante ressaltar que Nelson Ferreira era negro mas não imaginava a dimensão  do que viria a ser o “politicamente correto”, que só livra a cara para expressões do tipo “loura burra”.
     


  • O UNDERGROUND DE LUTO

    lula Cortes“Eu podia ser político e fazer comício, mas preferi dar uma bola e vir cantar!” (frase/verso de Lula Côrtes que marcou o tom irreverente de suas últimas apresentações)

     

    Meus versos são frutos perversos
    Que não brotam do nada
    Ao contrário dessa coisa tão falada
    Da inspiração que vem do espaço etéreo.

    Eu contestando esse argumento antigo
    Digo acordado e assim sonhando, instigo:

    Versos são frutos com sabores sérios
    De Insônia, solidão ou descontentamento.

    Versos são quase como um testamento
    Deixados por homens sombrios ( * )

     

    MORRE LULA CÔRTES
    Músico, poeta e artista plástico deixa produção de valor inestimado 


    FUNDARPE (
    www.fundarpe.pe.gov.br) / Michelle de Assumpção – Lula Côrtes deixou esse mundo sem permitir que a doença o impedisse de fazer o que mais gostava: tocar, compor, pintar, estar com os amigos e festejar a vida. Na semana passada, fez participação especial no show Vivo, de Alceu Valença, em três noites de shows em São Paulo. Depois comemorou quase como se estivesse de volta aos anos 70 e seu organismo, já debilitado pelo câncer, não resistiu. Lula deixou muitas atividades pela metade (sempre tinha muito que fazer, de preferência, ao mesmo tempo), mas plantou uma árvore frondosa de raízes sólidas e muitos frutos bons. O mais recente deles foi a transformação política cultural que promoveu em Jaboatão dos Guararapes, onde estava como assessor de Cultura. Lula conseguiu imprimir um novo significado às festas populares do município, como a Festa da Pitomba, que passou a ser vitrine para os artistas e bandas mais autorais, legais, e menos comerciais. 

    Sentia orgulho por estar devolvendo ao município, onde passou a maior parte da sua vida (morava num prédio na beira mar de Candeias), suas mais ricas tradições. “Jaboatão já teve o maior carnaval de rua que conheci”, me disse Lula Côrtes, numa visita recente que lhe fiz para que falasse sobre seus planos como gestor. Por conta de sua vasta produção musical, plástica, literária e recentemente política, Lula dizia que não queria ficar conhecido na história da música brasileira apenas como o compositor que fez os antológicos álbuns Satwa (em 1972, com o cartunista e músico Laílson) e, sobretudo Paêbiru – O caminho da montanha do sol. 

    Marco do psicodelismo brasileiro, composto com Zé Ramalho em 1974 e lançado pela gravadora Rozemblit, é hoje um disco raro, encontrado por até R$ 4 mil no mercado estrangeiro. Antes do Carnaval deste ano, produtores estrangeiros estiveram com Lula Côrtes no Recife. Juntos, deram palestra na Conferência Porto Musical e falaram sobre os planos de reeditar os discos da gravadora Rozenblit. Paêbiru é um dos primeiros da fila. Também é antológico o desenho psicodélico da capa que Lula fez para outro disco da geração dos 70: No Sub Reino dos Metazoários, de Marconi Notaro. Como ele próprio dizia, Pernambuco e o Brasil não conheciam sua produção. 

    Esses três trabalhos chegaram a liderar a lista de discos mais vendidos na categoria World Music, quando foram lançados em 2008 nos Estados Unidos, pela gravadora independente Time-Lag Records. Lula, que aguardava ansioso pelo relançamento de Paêbiru no Brasil, creditava o disco a todos os artistas do underground dos anos 70 em Pernambuco, como o próprio Alceu e Geraldo Azevedo, que estão na ficha técnica do LP. Na sua discografia também constam os discos Rosa de Sangue, O gosto novo da vida, A Mística do Dinheiro, O Pirata, Nordeste, Repente e Canção e Lula Cortes & Má Companhia, o único em formato CD. 

    Multimídia, também lançou obras de prosa e poesia, como O Livro das Transformações, em 1972; e o audiobook O lobo e a lagoa, em 2008. Sempre intercalando as linguagens, ele também escreveu quase vinte livros, entre eles, Hábito ao vício, Rarucorp, Bom era meu irmão, ele morreu, eu não e Amor em preto e branco. Produzia muito mais do que publicava. Atualmente, sua arte era a pintura. Na sala de sua casa, telas, tintas e aquarelas estavam sempre à mostra. Entre encomendas e projetos próprios, ele passava horas do dia. O mar, que invadiu a orla e quase alcançava o playground do seu edifício, chegava até ele em som, cheiro e cores. Estava presente em suas telas e na sua vida.

    Lula deixa seis filhos e uma lembrança forte que os fãs devem guardar como uma das mais características: Lula era essencialmente um roqueiro e, quando pegava no microfone, esquecia qualquer dor, aliás, a espantava com rouquidão, energia e vivacidade.


    Nota do SDV ( * ): Estrofes de “Versos Perversos”, música de Lula Côrtes.

     


  • “FLOR DE LIZ”

    james-dean- liz taylorElizabeth Taylor e James Dean em “Assim Caminha A Humanidade” (1956)

     

    Assim caminhamos todos:
    Liz Taylor e demais beldades.

    Cardinales, Lollobrigidas
    E outros mitos da humanidade.

    Deans, Burtons e Brandos…
    Até Brigitte Bardot já é saudade.
     

    (GM)
     

  • “O MANIFESTO MARCIANO”

    chavez-noam                                Os fundamentos do besteirol…
     

              CHÁVEZ DIZ QUE CAPITALISMO PODE TER ACABADO COM A VIDA EM MARTE

     
    REUTERS / Eyanir Chinea (Caracas) – O capitalismo pode ter sido o culpado pela falta de vida em Marte, disse nesta terça-feira o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

    “Eu sempre digo, e ouço, que não seria estranho se tivesse existido uma civilização em Marte, mas talvez o capitalismo tenha chegado lá, o imperialismo chegou e acabou com o planeta”, disse Chávez em discurso para marcar o Dia Mundial da Água.

    Chávez, que também coloca no capitalismo a culpa por vários problemas do mundo, alertou que o abastecimento de água na Terra está acabando.

    “Cuidado! Aqui no planeta Terra, onde centenas de anos atrás ou menos havia grandes florestas, agora há desertos. Onde havia rios, há desertos”, disse Chávez, tomando um gole d’água de um copo.

    Ele acrescentou que os ataques do Ocidente sobre a Líbia tinham como motivação fontes de água e reservas de petróleo.

    O Conselho Nacional de Pesquisas dos EUA recomendou neste mês que a principal prioridade da Nasa deveria ser construir um robô que ajudasse a determinar se já houve vida em Marte e que revelasse o histórico climático e geológico do planeta.

    Esse também seria o primeiro passo num esforço para trazer de volta à Terra amostras de Marte.



  • O BARATO DO BARACK

    ObamaGay
                       CABRAL FALA SOBRE EMOÇÃO DE VER OBAMA NO MUNICIPAL

     
    “O sonho do Juvenal
    É desfilar no Municipal” ( * )

    Jornal do Brasil ( jb.com.br ) / Rio – O governador Sérgio Cabral escreveu neste domingo, em seu perfil no Twitter (@SergioCabralRJ), sobre a emoção de ter presenciado o discurso do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no recém-restaurado Theatro Municipal.

    O primeiro pronunciamento público do chefe de Estado americano no Brasil aconteceu na tarde deste domingo, reunindo cerca de dois mil convidados, entre autoridades, artistas e representantes da sociedade civil. Cabral relembrou as palavras de Obama, quando o líder elogiou a política de pacificação implantada no estado dizendo que “a esperança está voltando para o lugar onde o medo costumava reinar”.

    – Parabéns ao Rio por apostar na paz. Estou com fôlego renovado para seguir trabalhando e lutando por dias melhores pra nossa gente! Vocês, eu e todos temos que nos orgulhar do trabalho que está sendo feito no Rio de Janeiro. E ele é tão importante que o mundo todo quer conhecer e elogiar – escreveu o governador em seus posts.  


    Nota do SDV ( * ): Versos de “Juvenal no Municipal”, marchinha de Ruthnaldo e Milton de Oliveira, sucesso de Ângela Maria no carnaval de 1960.

     


  • LÁ VEM O NEGÃO!

    obama1

     
                                            “ABAIXO O IMPERIALISMO YANKEE”
                                               (Fora o blues, o jazz e o rock’n’roll!)


    UOL Notícias – Protesto no centro carioca levou 500 pessoas da Candelária até a sede do consulado norte-americano, onde houve confronto com a polícia. Com faixas e cânticos contra o presidente norte-americano Barack Obama, os manifestantes criticaram o interesse estrangeiro no petróleo do pré-sal e o pronunciamento público que o mandatário fará no domingo.

    Reportagem de Rodrigo Bertolotto e Yuri Catelli. Confira também video com mensagens para Barack Obama em “ingles carioquês” e os ódios e os amores em relação aos EUA.

     

  • CARNAVAL… E FÉRIAS, MALANDRAGEM!

    ferias


    chaplin-charlie-modern-timesCharles Chaplin e Paulette Goddard em “Tempos Modernos” (1936)

     
    “Eu nunca sinto falta de trabalho
    Desde pirralho
    Que eu embrulho o paspalhão
    Minha boa sorte é o baralho
    Mas minha desgraça é o garrafão
    Dinheiro fácil não se poupa
    Mas agora com que roupa?” ( * )

     
    Nota do SDV ( * ): Blague do próprio Noel Rosa ao bisar, nas rádios e apresentações ao vivo, uma das estrofes de “Com Que Roupa?”, samba de sua autoria gravado em 1930.