• PISSICA

    camisa do vasco2

     

    CALANGO VASCAÍNO ( * )
        (Martinho da Vila)


    Eu quis namorar a pobre
    Pobretão não quis deixar
    Só queria moço rico
    Pra com ela namorar.

    Eu quis namorar a rica
    Henricão não quis deixar
    Pois sonhou com moço nobre
    Pra com ela se casar.

    Tentei namorar a preta
    O negão não quis deixar
    Tinha que ser moço louro
    Pra poder chegar pra lá.

    Tentei namorar a loura
    Seu louro não quis deixar
    Tinha que ser bem moreno
    Pra poder miscigenar.

    Tô sem consolo
    Ninguém vem me consolar
    Vou cantando o meu calango
    Que é pra vida melhorar.

    O meu calango
    Que é pra vida melhorar
    E minha única alegria é ver meu Vasco jogar.

    Minha alegria…
    É ver meu Vasco jogar
    Eu tô cansado de derrota
    Mas não vou me entregar.

    É… de derrota
    Mas não vou me entregar
    E se a morte é um descanso
    Eu não quero descansar.


    Ouça:
      http://mais.uol.com.br/view/e8h4xmy8lnu8/martinho-da-vila–calango-vascano-04023870E0816326?types=A&

     
    Nota do SDV ( * ): homenagem ( “condolências” ) a meus amigos vascaínos, Zizinho e Moisés de Lima, de Natal/RN.

     


  • “É FIM DO MÊS” (*)

    DSC01919


    É fim do mês, é fim do mês
    É fim do mês, é fim do mês!

    Eu já paguei a conta do meu telefone
    Eu já paguei por eu falar e já paguei por eu ouvir.
    Eu já paguei a luz, o gás, o apartamento
    Kitnet de um quarto que eu comprei a prestação
    Pela Caixa Federal, au, au, au
    Eu não sou cachorro não (não, não, não).

    Eu liquidei a prestação do paletó, do meu sapato e da camisa
    Que eu comprei pra domingar com o meu amor
    Lá no Cristo Redentor, ela gostou (oh!) e mergulhou (oh!)
    E o fim do mês vem outra vez!

    Eu já paguei o peg-pag, o meu pecado
    Mais a conta do rosário que eu comprei pra mim rezar (ave maria).
    Eu também sou filho de Deus
    Se eu não rezar eu não vou pro céu…
    Céu, céu, céu.

    Já fui pantera, já fui hippie, beatnik
    Tinha o símbolo da paz dependurado no pescoço
    Porque nego disse a mim que era o caminho da salvação.
    Já fui católico, budista, protestante
    Tenho livros na estante, todos tem a explicação.
    Mas não achei! Mas procurei!
    Pra você ver que procurei
    Eu procurei fumar cigarro hollywood
    Que a televisão me diz que é o cigarro do sucesso.
    Eu sou sucesso! Eu sou sucesso!
    No posto Esso encho o tanque do carrinho
    Bebo em troca o cafezinho, cortesia da matriz.
    “There’s a tiger no chassis”…

    Do fim do mês
    Já sou freguês
    Do fim de mês eu já sou freguês!
    Eu já paguei o meu pecado na capela
    Sob a luz de sete velas que eu comprei pro meu Senhor
    Do Bonfim, olhai por mim!

    Tô terminando a prestação do meu buraco
    Meu lugar no cemitério pra não me preocupar
    De não mais ter onde morrer.
    Ainda bem que no mês que vem
    Posso morrer, já tenho o meu tumbão, o meu tumbão!

    Eu consultei e acreditei no velho papo do doutor psiquiatra
    Que te ensina como é que você vive alegremente
    Acomodado e conformado de pagar tudo calado
    Sem bancar o empregado e sem jamais se aborrecer…
    (Ele só quer, só pensa em analisar, na profissão seu dever é adaptar,
    ele só quer, só pensa em adaptar, na profissão seu dever é adaptar).

    Eu já paguei a prestação da geladeira
    Do açougue fedorento que me vende carne podre
    Que eu tenho que comer
    Que engolir sem vomitar
    Quando às vezes desconfio
    Se é gato, jegue ou mula
    Aquele talho de acém que eu comprei pra minha patroa
    Pra ela não me apoquentar.

    É fim do mês, é fim do mês
    É fim do mês, é fim do mês!
    É fim do mês, é fim do mês…

     

    Nota do SDV ( * ): Letra e música de Raul Seixas.
    Ouça:
    http://www.youtube.com/watch?v=dwfGdLZrNzo&feature=fvsr


  • “XÔ, MÍDIA GOLPISTA!”

    mumia                                   Múmias X agentes do “PIG”…

     

    EGITO IMPEDE REDE DE TV AL JAZEERA DE TRANSMITIR MANIFESTAÇÃOS  CONTRA O GOVERNO


    Agência Brasil (Maputo) – A rede de televisão Al Jazeera, com sede no Catar, foi impedida pelo governo egípcio de continuar suas transmissões jornalísticas do Egito. A informação é confirmada pela própria emissora.

    O ministério da Informação ordenou a suspensão das operações e do credenciamento dos funcionários a partir de hoje. Duas horas depois da confirmação da informação, o serviço em inglês continuava gerando imagens a partir do Cairo.

    Pela rede social Twitter, o repórter Dan Nolan mandou uma recado aos espectadores: “Não se preocupem, continuaremos a reportar sobre o que acontece no Egito, não importando quais restrições eles nos imponham”.

    Neste domingo, repórteres da emissora descreveram trocas de tiros na praça Tahrir, no centro do Cairo, em meio a milhares de manifestantes. Também segundo a Al Jazeera, 34 integrantes do grupo oposicionista Fraternidade Muçulmana foram libertados.

    Os repórteres falam por telefone, sem terem os nomes divulgados “por razões de segurança”, segundo a apresentadora, que está na sede da empresa, em Doha.

    É o sexto dia seguido de maciças manifestações contra o governo de Hosny Mubarak. De acordo com operadoras de telefonia celular, o serviço começa a se normalizar, depois das interrupções dos últimos dias.

     


  • ALIANÇA PARA O PROGRESSO (*)

    bugs

     

    BUGUEIROS PROGRESSISTAS

    Samo tudo prafrentista
    Com a gente ninguém bula
    Os qui num fore petista
    E num gostare de Lula.

    (Rocas Quintas)


    Nota do SDV ( * ): “No início da década de 1960, a América Latina tornou-se a primeira prioridade da agenda externa dos Estados Unidos que formulou e engendrou a criação da “Aliança para o Progresso”. Criada oficialmente no Encontro Extraordinário do Conselho Econômico e Social Interamericano, realizado em Punta del Este, no Uruguai, no período de 5 a 17 de agosto de 1961, a “Aliança para o Progresso” pretendia ajudar e acelerar o desenvolvimento econômico na América Latina. Na tentativa de garantir o estabelecimento de governos “plenamente democráticos” foi produzida uma carta de intenções que propunha uma série de melhorias na distribuição de renda do continente latino-americano, reforma agrária e o desenvolvimento de planejamentos econômicos e sociais. Os países latino-americanos (com exceção de Cuba) comprometeram-se com um programa de investimentos da ordem de 80 bilhões de dólares por 10 anos. Os Estados Unidos da América concordaram em fornecer cerca de 20 bilhões de dólares. Se oficialmente o objetivo dos EUA era promover o progresso econômico da América Latina através de uma aliança com todos os países do continente, oficiosa e veladamente tratava-se do processo de enfrentamento do “perigo” comunista no continente. Em 1959, tal “perigo” havia se materializado na “Revolução Cubana” que, por sua vez, constituiu grande entrave ao controle estadunidense sobre a América Latina”.

    Henrique Alonso de A. R. Pereira
    Dpto de história e Geografia da UFRN

  • UMA CIDADE DESCOPADA

    juvenal lamartine      Portal do estádio Juvenal Lamartine, inaugurado em 28/10/1928 no bairro do Tirol (Natal-RN)

     

    A COPA DO FIM DO MUNDO

    Acuma vai sê sem Copa
    Se a Fifa passá cerol
    Sem alemão lá nas Roca
    E holandês no Tirol?

    Danô-se feira do Alicrim
    Acabô-se feira do Carrasco
    Lascô-se frasqueira do ABC
    Reiô-se turcida do Vasco!

    Haja celveja na manha
    Prá suportá essa trama
    Sem torcedô da Espanha
    Lotando o Beco da Lama.

    Ai do povo dessa terra
    O qui será de nóis agora
    Parece o tempo da guerra
    Quando os gringo foi simbora!

     
    (Rocas Quintas)
     
    Nota do SDV: Rocas Quintas é vice-dono deste “brógui” e cobrador de ônibus da linha mais antiga de Natal, agora fazendo o trecho Forte – Redinha, via “Ponte Nova”.
     

  • “SÓ NO BIM BOM E NO HÓ-BÁ-LÁ-LÁ” (1)

    joãogilberto                        João Gilberto.

     

    EU NÃO TENHO ONDE MORAR ( 2 )

    Eu não tenho onde morar
    É por isso que eu moro na areia.

    Eu nasci pequenininho
    Como todo mundo nasceu
    Todo mundo mora direito
    Quem mora torto sou eu.

    Eu não tenho onde morar
    É por isso que eu moro na areia.

    Vivo na beira da praia
    Com a sorte que Deus me deu
    Maria mora com as outras
    Quem paga o quarto sou eu.

    Eu não tenho onde morar
    É por isso que eu moro na areia.

     
                 PROPRIETÁRIA VAI À JUSTIÇA PARA TIRAR JOÃO GILBERTO DE IMÓVEL

    FOLHA.com / Marcelo Bortoloti – O músico João Gilberto, que completa 80 anos em junho, está sendo despejado do apartamento onde mora no Leblon, zona sul do Rio.

    O pedido judicial foi feito pela dona do imóvel, a condessa Georgina de Faucigny Lucinge Brandolini d’Adda.

    Segundo seu advogado, ela quer o apartamento de volta em razão do comportamento excêntrico do cantor, que não permite a entrada de ninguém no imóvel.

    A gota d’água foi o fato de ter colocado restrições ao acesso de pedreiros que iriam consertar uma janela.

    “A proprietária é uma pessoa de posses, e não depende deste aluguel para sobreviver. Ela achou um desaforo o inquilino se apropriar desta forma do apartamento, onde passou parte da sua vida”, afirma o advogado Paulo Roberto Pereira Mendes.

    Georgina de Faucigny mora na Itália e é casada com Ruy Brandolini d’Adda, que tem título de conde e é um dos acionistas da Fiat.

    O músico baiano aluga o local há 15 anos, e a vigência do último contrato venceu em julho do ano passado.

    A ordem de despejo é fundada em denúncia vazia, instrumento que permite ao proprietário pedir o imóvel de volta sem alegar motivo.

    A partir do momento em que receber a notificação, o músico tem 15 dias para dizer se vai acatá-la ou refutá-la.

    João Gilberto é conhecido por viver recluso e deixar pouco o apartamento. Ele costuma pedir suas refeições por telefone e recebe poucas visitas. Quando sai de casa, sempre de taxi, pede que o carro entre na garagem.

    O cantor, que não tem assessoria de imprensa e rompeu com seu empresário, não atendeu as ligações da Folha. Sua filha, Bebel, não quis comentar o assunto.

    Segundo o advogado da proprietária, as negociações para que João Gilberto entregasse o imóvel começaram há seis meses. Em princípio ele havia aceitado deixá-lo, mas, em dezembro, avisou que não sairia mais. “Esperamos que tudo acabe rápido e ele se aloje em outro local. Mas pelo jeito isto vai virar uma novela”, diz Mendes.


    Nota do SDV: ( 1 ) títulos de músicas de João Gilberto.
    ( 2 ) música de Dorival Caymmi.
     

  • LEMBRANÇA DE UM POETA QUASE ESQUECIDO…

    jg-de-araujo-jorge                                     JG de Araújo Jorge (20/05/1914 – 27/01/1987)

     

                                                    UM POETA FORA DE MODA…


    Blog Antonio Miranda / por Salomão Sousa – J. G. de Araújo Jorge pode estar esquecido pela crítica – e dificilmente terá lugar na história da poesia brasileira -, mas jamais pode ser menosprezado. É um dos poetas mais freqüentados nas páginas da internet e talvez seja um dos mais lembrados, lidos e copiados pelos enamorados.

    Autor de vasta obra (36 livros), sem esquecer o trabalho de divulgação da poesia que ele desenvolvia, ainda é um dos poetas mais buscados nos sebos, já que sua obra não é – falta tino aos editores – reeditada.

    José Guilherme de Araújo Jorge nasceu na Vila de Tarauacá (Acre), em 20 de maio de 1914, onde passou a infância e cursou o primário. Mudou-se para o Rio de Janeiro e, ainda ginasiano, teve a sua primeira colaboração na imprensa adulta publicada, em 1931: o poema, “Ri Palhaço, Ri”, no  “Correio da Manhã”, depois transcrito no “Almanaque Bertand” de 1932.

    No Externato Colégio Pedro II chegou a merecer, em certame, o título de o  Príncipe dos Poetas”, sendo saudado na festa por Coelho Neto.

    Foi locutor e redator de programas radiofônicos, e professor  de História e Literatura do Colégio  Pedro II. Foi candidato a vários cargos públicos. Elegeu-se Deputado Federal por três Legislaturas , chegando a exercer a liderança do MDB.

    Era conhecido como o Poeta  do Povo e da Mocidade, “pela sua mensagem social e política e por sua obra lírica, impregnada de romantismo moderno, mas às vezes, dramático” – como é definido por alguns críticos. Faleceu em 27 de Janeiro de 1987.

     
    VINHO
    (JG de Araújo Jorge)

    Do amor tu não dirás: provo, mas não me embriago,
    que não basta provar para sentir o amor.
    É preciso sorvê-lo até o último trago
    se a embriaguez é que dá seu profundo sabor.

    Teu amor deve ter profundidade e cor
    não deve ser um sonho doentio e vago,
    se assim for, então sim, podes te dar por pago
    que este é o preço da vida e todo o seu valor.

    Transborda a tua taça, ergue-a nas mãos, e brinda
    o momento feliz que viveste e não finda,
    que só o amor que embriaga e que nos leva a extremos

    pode glorificar os sentidos e a vida,
    e vencendo a razão que nos tolhe e intimida,
    nos faz reaver, de pronto, as horas que perdemos!

     


  • A NINFA ARIELLA

    Nicole Puzzi - 001 - Ariella

     
                               MORRE O ATOR, DIRETOR E PRODUTOR JOHN HERBERT


    O filme ‘Ariella’, com direção de John Herbert, retrata as descobertas de uma garota sobre a sua sexualidade e verdadeira identidade. Ariella (Nicole Puzzi) é criada, sem saber, pela família responsável pela morte de seus pais verdadeiros.

    Nesse meio ela vive, destratada por alguns e assediada por outros. Sua única fuga dessa realidade é o sentimento que nutre pela noiva do irmão, interpretada por Christiane Torloni.

    O filme é baseado no livro “A Paranóica”, de Cassandra Rios. No livro, o amor lésbico de Ariella é tratado de maneira magistral pela polêmica autora. John Herbert, além de diretor , também atua no filme e mantém uma cena quente com a personagem de Nicole Puzzi, a ninfeta Ariella, sensualíssima.

    John Herbert Buckup, descendente de alemães, nasceu em São Paulo no dia 17 de maio de 1929. Além de ator, também era diretor e produtor. Participou de inúmeras telenovelas, minisséries e filmes nacionais. John Herbert, que sofria de enfizema pulmonar, faleceu hoje, 26 de janeiro, aos 81 anos.


    Cenas de Ariella: http://www.youtube.com/watch?v=0r3ZqrZIsNk


  • “FILME TRISTE”

    lula-filme                      “O buá de buana…”

     

       Nem a ‘mídia golpista’ repercutiu o fiasco bancado pelo cordão dos puxa-sacos:
       FILME SOBRE LULA FICA FORA DA DISPUTA PELO OSCAR DE FILME ESTRANGEIRO


    Jornal do Brasil (jb.com.br) – A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulgou (na quarta-feira passada, 19) em seu site oficial, a relação dos nove filmes que integram a lista de longas pré-indicados para a disputa do Oscar de melhor filme estrangeiro. 

    “Lula – O filho do Brasil”, de Fábio Barreto, era o concorrente brasileiro na disputa, mas não conseguiu vaga entre os pré-indicados. O longa baseado na história do ex-presidente brasileiro disputava com outros 66 filmes.

    De acordo com a eleição realizada pelo Ministério da Cultura, os favoritos dos espectadores foram Nosso lar, com 70% dos votos, seguida de Chico Xavier (12%), Os famosos e os duendes da morte (8%), O grão (2%) e Antes que o mundo acabe (2%), mas o anúncio do longa como o representante brasileiro pela vaga nesta edição do prêmio foi feita em setembro do ano passado na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

    Na época, a comissão negou que a escolha tivesse sido política.

    Em toda a história do cinema nacional, apenas quatro filmes foram indicados ao Oscar de filme estrangeiro e nenhum deles venceu. Os selecionados foram O pagador de promessas (1963), O quatrilho (1996), O que é isso, companheiro? (1998) e Central do Brasil (1999).

    A lista dos pré-indicados:

    -Argélia, Hors la loi, de Rachid Bouchareb
    -Canadá, Incendies, de Denis Villeneuve
    -Dinamarca, Em um mundo melhor, de Susanne Bier
    -Grécia, Dogtooth, de Yorgos Lanthimos
    -Japão, Confessions, de Tetsuya Nakashima
    -México, Biutiful, de Alejandro González Iñárritu
    -África do Sul, Life, above all, de Oliver Schmitz
    -Espanha, Tambien la lluvia, de Iciar Bollain
    -Suécia, Simple Simon, de Andreas Ohman

     

    Nota do SDV: Com orçamento de aproximadamente R$ 12 milhões, “Lula, o Filho do Brasil” é considerado um dos filmes mais caros da história do cinema brasileiro. Depois desse “luxo” só resta ao Brasil, em parceria com a Inglaterra, papar o documentário “Lixo Extraordinário” (“Waste Land”) – que conta as histórias por trás do projeto do artista plástico Vik Muniz – que frequentou o aterro sanitário do Jardim Gramacho, na baixada fluminense, ao longo de dois anos para fotografar um grupo de catadores de materiais recicláveis e retratá-los com sua arte. O objetivo seria mudar a vida das pessoas envolvidas e reverter os lucros do trabalho para a comunidade.

     

  • UM RÉQUIEM A MAIS

    BIANOR~1       Poemaimagem de Bianor Paulino ( * )

     

    UM BROTE PARA BIANOR PAULINO
    (http://www.youtube.com/watch?v=VMGsLu69H4A)


    Bianor era da ‘Barra’
    De Lagoa Seca e seus oitões
    Desbravada por Kalun
    Raul Andrade e guardiões.

    Bianor era da feira
    Dos tabuleiros do Alecrim
    Das pilhas de cebola roxa
    E alhos brancos marfins.

    Bianor era mecenas
    Dos primórdios d’Alcateia
    E assim como Mestre  Ziza
    Não aparecia pra plateia.

    Bianor era recato
    Cabreiro e arredio
    Processava seus poemas
    Com cores quentes no vazio.

    Bianor era taxidermista
    Da palavra e seu refino
    E sem paranomásias
    Discutia Dias-Pino.

    Bianor era caboclo de guerra
    E saliva na cara em tal desarranjo:

    Agora gagueje pelejas no Éden
    E empalhe a palavra dos anjos.


    (GM)


    SDV ( * ): Bianor Paulino da Costa era poeta, professor e crítico literário licenciado em letras e filosofia pela UFRN. Faleceu em Natal aos 61 anos, no dia 23 de janeiro de 2011.