• BOMBA! ÚLTIMA EDIÇÃO IMPRESSA DO JORNAL DO BRASIL

    jb            Jornal do Brasil: de enxoval à mortalha.


    MEU ENXOVAL ( * )

    Eu fui para São Paulo procurar trabalho
    E não me dei com o frio
    Tive que voltar outra vez para o Rio
    Pois aqui no Distrito Federal
    O calor é de lascar
    E veja o meu azar:
    Comprei o “Jornal do Brasil”
    Emprego tinha mais de mil
    E eu não arranjei um só…


    Telegrafei para a vovó
    Ela tem uma bodega em Recife, Pernambuco
    Eu disse pra ela que estou quase maluco
    E que não tenho nem onde morar, o quê que há?
    Estou dormindo ao relento, valei-me nossa Senhora!
    O meu travesseiro é um “Diário da Noite”
    E o resto do corpo fica na “Última Hora”.

    Mas se eu voltar, aquela turma lá do Norte me arrasa
    Principalmente o povo lá de casa
    Que vai perguntar por que é que eu fui embora.
    Por isso eu vou ficando
    Dormindo aqui na porta do Municipal
    Com quatro mil-réis eu compro o enxoval:
    “Diário da Noite” e a “Última Hora!”


    Nota do SDV ( * ): música de Gordurinha e José Gomes (Jackson do Pandeiro)
     

  • “TRAJETÓRIA DE VAZAMENTOS”

    atleta03030608gc6
     

    DILMA ACUSA PSDB DE SERRA DE TER “TRAJETÓRIA DE VAZAMENTOS E GRAMPOS”


    UOL / Maurício Savarese (São Paulo) – Questionada em entrevista no Jornal da Globo sobre a quebra de sigilo do Imposto de Renda de membros do PSDB, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, acusou na madrugada desta terça-feira (31) os tucanos de terem “expressiva” tradição em vazamentos e grampos durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

    Ela repetiu também que não está negociando cargos para o caso de ser eleita.

    “Considero que é absolutamente injustificado que uma pessoa acuse outra sem apresentar prova”, disse Dilma, ao ser questionada sobre dados extraídos ilegalmente da Receita Federal que caíram nas mãos de um grupo de comunicação que negociou com sua pré-campanha. “Se essa situação for colocada dessa forma, o partido do candidato meu adversário tem uma trajetória de vazamentos e grampos absolutamente expressiva.”

    “Vazamento das dívidas dos deputados federais com o Banco do Brasil às vésperas da votação da emenda da reeleição. Os grampos que existiram no BNDES”, disse a candidata, em referência ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que teria sido sido pivô de uma série de grampos promovidos por membros do próprio governo de FHC, durante o processo de privatização da Telebrás. A entrevista durou 20 minutos.

     “Também há os grampos feitos junto ao próprio gabinete do secretário da Presidência da República. Eu jamais usei esses episódios para tornar o meu adversário suspeito de qualquer coisa, porque não acho correto. Mas também não concordo que me acusem ou acusem minha campanha”, afirmou a presidenciável.

    A líder nas pesquisas de intenção de voto, com ampla vantagem sobre o rival José Serra (PSDB), rejeitou a hipótese de estar negociando cargos em um eventual governo. “Eu não tenho discutido o futuro governo, por uma questão de respeito com a população. Para começar a discutir o governo, eu teria de estar eleita”, afirmou.

    Na área externa, a petista disse que a posição do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva “sempre foi” de considerar as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) como entidade ligada à criminalidade e ao narcotráfico. Tucanos e aliados seus no Democratas atacaram as relações do PT com a guerrilha esquerdista. “Brasil, a gente tem de perder essa visão um tanto quanto conspiradora. Se não se conversar, você não consegue, inclusive, a paz”, afirmou Dilma.

    Serra é o entrevistado da edição desta terça-feira do Jornal da Globo, e a candidata Marina Silva (PV) falará na quarta-feira.

     


  • “TERRA, TRABALHO, PÃO E COCA-COLA”

    fidel-coca-cola                            “El Comandante” Fidel Castro

    che _coca cola                                    Ernesto “Che” Guevara


    GERAÇÃO COCA-COLA ( * )

    Quando nascemos fomos programados
    A receber o que vocês nos empurraram
    Com os enlatados dos U.S.A, de nove às seis.

    Desde pequenos nós comemos lixo
    Comercial e industrial
    Mas agora chegou nossa vez
    Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês.

    Somos os filhos da revolução
    Somos burgueses sem religião
    Somos o futuro da nação
    Geração Coca-Cola.

    Depois de 20 anos na escola
    Não é difícil aprender
    Todas as manhas do jogo sujo
    Não é assim que tem que ser?

    Vamos fazer nosso dever de casa
    E aí então, vocês vão ver
    Suas crianças derrubando reis
    Fazer comédia no cinema com as suas leis.

    Somos os filhos da revolução
    Somos burgueses sem religião
    Somos o futuro da nação
    Geração Coca-Cola
    Geração Coca-Cola
    Geração Coca-Cola
    Geração Coca-Cola.



    Nota do SDV ( * ): sucesso do Legião Urbana (composição de Renato Russo).

     


  • NO DIA QUE ‘ITARETAMA’ ACORDAR…

    vulcao monte sinabungMonte Sinabung em processo de erupção – Ilha de Sumatra / Indonésia

    vulcão-cabugi            Pico do Cabugi (“Itaretama”, em tupi-guarani) – Lajes / RN
                   

                           VULCÃO NA INDONÉSIA ENTRA EM ERUPÇÃO PELA SEGUNDA VEZ

     
    EFE (Jacarta) – O vulcão Monte Sinabung, situado ao norte da ilha indonésia de Sumatra, entrou nesta segunda-feira (30) em erupção pela segunda vez em 24 horas após passar 400 anos adormecido, informou o Centro de Vulcanologia da Indonésia.

    Mais de 20 mil pessoas continuam realojadas nos centros desde ontem, perante o estado de alerta por causa do vulcão, que esta madrugada lançou uma coluna de fumaça e cinza de dois quilômetros de altura.

    O escritório de proteção civil enviou para a região do vulcão dúzias de caminhões, ônibus e ambulâncias para evacuar os moradores de 17 aldeias.

    A polícia local assegurou à agência estatal “Antara” que dois aldeães morreram durante a retirada por causa de um ataque do coração.

    Apesar de a atividade do Sinabung ter diminuído, os especialistas mantêm a vigilância ao não dispor de um padrão de comportamento do vulcão, cuja última erupção registrada é do ano de 1600.

    A Indonésia, que fica sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, uma área de grande atividade sísmica e vulcânica, abriga mais de 400 vulcões, dos quais pelo menos 129 continuam ativos e 65 estão qualificados como perigosos.

     


  • NORDESTINO ‘ESPERTO’ NÃO TROCA JEGUE POR MOTO, LULA!

    Jegue em tambaba                    “Ajudante de Montaria” em Tambaba – PB (praia de nudismo)

     
            LULA SE DIZ FELIZ POR VER NORDESTINOS ‘TROCANDO JUMENTOS POR MOTOS’

     
    FOLHA.com / Fábio Guibu (enviado especial a Caruaru) – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 27, em Caruaru (a 136 km de Recife, PE) que “políticos de duas caras” tentaram mas não conseguiram realizar obras importantes para o Nordeste, como a transposição das águas do rio São Francisco, iniciada no seu governo.

    “Tinha presidente que dizia que ia fazer, mas a Bahia era contra. Então ele chegava e dizia que era contra. O Ceará era favorável, e no Ceará ele dizia que era favorável. Ou seja, tinha um monte de políticos de duas caras que nunca conseguiu fazer”, declarou ele, sem citar nomes.

    Em discurso para estudantes em uma escola técnica federal, Lula afirmou ainda que, apesar de não ter diploma universitário, entrará para a história como o presidente que mais fez universidades no Brasil. E, novamente sem citar nomes, disse acreditar que, após 2010, “vai ter mais gente que vai fazer mais”.

    No seu Estado natal, e na região onde conquistou maior apoio político no país, Lula defendeu a valorização do nordestino, falou do seu passado de retirante e ainda fez piadas de si mesmo.

    “Nós não queremos ser tratados mais como a parte inferior deste país”, afirmou. “Nordestino não é menos do que ninguém”, declarou, afirmando depois não considerar “justo que alguns tenham água gelada na geladeira e outros tenham que buscar” em açudes.

    “Talvez um dia a ciência vá provar que o fato de eu não ter pescoço é por carregar pote d’água na cabeça com dez anos de idade”, disse ele. “O pescocinho engrossou, a cabeça ficou até quadrada.”

    Animado pelos aplausos, Lula continuou. Disse que, ao sair de Pernambuco, suas pernas “eram da grossura desse dedo e a barriga era assim [grande]. Eu pensava que era gordura. Era verme. E, hoje, eu estou aqui, bonitão e presidente da República deste país graças à persistência.”

    Lula disse aos estudantes que “não há nenhuma razão para que o jovem fique desmotivado” a estudar e afirmou que a educação é o caminho da independência, principalmente para a mulher.

    “A mulher quando trabalha fora, tem o seu salário, fica mais dona da situação”, disse. “Quando os ‘Lula da vida’ chegarem em casa falando grosso ela diz: ‘Peraí meu filho, fale baixinho, me respeite, que eu quero conversar em igualdade de condições.'”

    FALAS PRESIDENCIAIS

    Para o presidente, uma das consequências mais “fantásticas” do desenvolvimento nordestino é saber que “o povo está trocando o jumentozinho por uma moto”.

    “Ninguém tem mais que dar esporadas”, afirmou, chutando o ar. “Agora é só acelerar. É mais rápido, mas não sei se é mais econômico que o jumentozinho.”

    Ao se despedir, Lula prometeu retornar para dançar forró. “No ano que vem, como eu não serei mais presidente, não vai ter mais encheção de saco de segurança, de cerimonial. Eu virei dançar um forró aqui em Caruaru. Vou ensinar para vocês como é que se dança um forró. As ‘muié’ podem ir preparando um sapato novo. Prometo não pisar no pé de ninguém.”

     


  • CANETA DE APEDEUTA

    a caneta de lula

     

                   “AINDA TENHO CANETA PARA FAZER MISÉRIA NESTE PAÍS”,  DIZ LULA

     
    Estadão.com.br / Rodrigo Álvares, enviado especial, e Angela Lacerda (Recife)  – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na noite desta sexta-feira, 27, que “ainda tem caneta para fazer miséria neste País”, ao lembrar que tem quatro meses e alguns dias de governo. Ele fez a afirmação depois de ouvir discursos em tom de despedida feitos durante comício realizado no Marco Zero, centro histórico do Recife, junto com a candidata Dilma Rousseff. “Alguns companheiros estão falando tanto, mas matariam para ser presidente por um dia”, afirmou. Previsto para reunir 10 mil pessoas, o ato teve a participação de duas mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar. A maioria, militância paga.

    Lula, que não retorna  a Pernambuco até à eleição, pregou o voto fechado da coligação liderada pelo atual  governador e candidato à reeleição, Eduardo Campos (PSB).  Também atacou duramente os candidatos da coligação oposicionista no Estado. Sem citar nomes, fez gozação com o senador Marco Maciel, que tenta a reeleição, dizendo que “parece que ele já foi senador no tempo do imperador” e perguntou ao público: “O que ele trouxe para Pernambuco?”.

    No seu discurso, Dilma, com voz rouca e aparentando cansaço,  disse que “no dia 31 de dezembro todos nós vamos ficar de coração apertado”. “Vamos ver o maior presidente que este País teve, descendo a rampa do Planalto”, afirmou ela, ao emendar: “Só tem um jeito desse coração não ficar tão pequenininho, é saber que serei presidenta da República para dar continuidade ao governo do presidente Lula, do jeito que conhecemos, e continuar avançando, de cabeça erguida”.

    Ela destacou que “apesar das calúnias e mentiras que muitas vezes aparecem, vamos seguir em frente fazendo proposta clara de desenvolvimento do Brasil e de Pernambuco”, e atendeu, no discurso, ao pedido feito pouco antes por Eduardo Campos: “Nos trate como o presidente Lula nos tratou”.

    “Vamos assegurar que Pernambuco seja este Estado que mais cresce”, disse ela, ao garantir que o legado do presidente, “que trabalha para as pessoas e não para as coisas” e “faz política com sentimento”, visando a promover o crescimento do País para 190 milhões de brasileiros.

    “Hoje é um dia especial, um dia em que a gente agradece ao presidente”, disse, num mote repetido pelos outros oradores da noite – os candidatos da chapa majoritária pernambucana, que foram alvo de elogios. “Sem parceiros e sem equipe não conseguimos fazer nada”, disse ela, ao pedir voto dos deputados estaduais e federais e dos candidatos ao Senado – Humberto Costa (PT) e Armando Monteiro Neto (PTB).

    Ao falar na saudade e na gratidão ao presidente, Eduardo Campos se disse ansioso para que chegue o dia três “porque o povo vai falar alto no Brasil, no Norte, Nordeste, no Sul, Sudeste, o povo brasileiro é um só, está animado e quer que Lula fique, com Dilma comandando”.

    Pediu para se manterem atentos e não aceitar provocação. “A oposição não está entendendo o que está acontecendo porque não entende de povo, não conhece o Brasil na real como o senhor conhece”, disse ele, que conclamou todos para lutarem para fazer “da vitória de Dilma em Pernambuco a maior do Brasil”.

    Ânimos acirrados

    O esquema de segurança e o atraso para o início do ato colaboraram para que os militantes deixassem o local, comentaram alguns petistas, ao explicar a platéia aquém do previsto.Depois de a segurança da Presidência da República retirar e isolar os cabos eleitorais do Marco Zero  os ânimos ficaram acirrados. Em um primeiro momento, apenas convidados vips e a imprensa puderam entrar no local. A organização esperava, mas o que se via no início da chegada dos militantes era empurra-empurra na hora de passar pelos detectores de metais. Algumas mulheres caíram no chão e desmaiaram.

    Alguns dos presentes se divertiam com a situação, outros, não. “Hoje é dia do show do homem (Lula)”, bradou um cabo eleitoral, resignado. Pouco depois, entretanto, alguns militantes começaram a bater os cabos das bandeiras com raiva contra as grades de metal.

    À espera da chegada de Lula e da presidenciável Dilma Rousseff para comício nesta sexta-feira com o governador de Pernambuco e candidato à reeleição, Eduardo Campos (PSB), cabos eleitorais, em sua maioria remunerados, gravam imagens para a campanha governista na capital pernambucana.

    A maioria dos militância presente era paga. De acordo com um dos 60 cabos eleitorais de Eduardo Campos, o candidato à reeleição prometeu pagar paga R$ 20 – mais R$ 5 para o almoço – para que elas tremulassem bandeiras no local do comício.

    Entre os militantes que se encontravam na praça, uma mulher tremulava a bandeira do ex-ministro da Saúde Humberto Costa (PT-PE) – atualmente candidato ao Senado pelo PT. Ela afirmou que lhe foi prometido um salário mínimo por mês até o fim das eleições, fora refeição e eventuais passagens.

     


  • “GOSTO MUITO DE VOCÊ, LEÃOZINHO” (*)

    leãozinho

    CORREGEDORIA DA RECEITA VÊ INDÍCIO DE BALCÃO DE VENDA DE INFORMAÇÕES SIGILOSAS


    FOLHA.com / Mário Sérgio Lima (Brasília) – As investigações disciplinares realizadas pela Corregedoria da Receita Federal já encontraram indícios de que os vazamentos de dados fiscais sigilosos, entre eles do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, foram encomendados por intermediários de fora.

    De acordo com o corregedor-geral da Receita, Antônio Carlos Costa D`Ávila, essas provas devem ser encaminhados para o Ministério Público na próxima segunda-feira.

    “Nas investigações, que poderão ser ratificadas pela Polícia Federal, há indícios de um balcão de compra e venda de dados sigilosos”, afirmou. Ele disse também que não foi possível identificar nenhum vínculo político ou partidário com os vazamentos, que ainda atingiram outros integrantes do PSDB, mas ele admite que essas informações poderiam ser utilizadas por pessoas de fora ligadas a grupos políticos.

    D’Ávila informou ainda que a Corregedoria trabalha com celeridade e chegou ao fim da parte de instruções do processo, na qual houve o indiciamento da servidora da Receita Antonia Aparecida Neves Silva, da agência de Mauá, na Grande São Paulo, além das apuração sobre suposta atuação de Adeildda Ferreira dos Santos, servidora do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

    Contudo, ele afirmou que não está preocupado com o calendário eleitoral e que, por conta dos prazos que devem ser seguidos no processo disciplinar, não acredita que as investigações sejam encerradas antes de 60 dias.

    CONSTRANGIDO

    Em entrevista coletiva para falar sobre as investigações, o secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, afirmou que o órgão está constrangido e traumatizado e foi pego de surpresa.

    Ele informou ainda que a Receita iniciou trabalho para reduzir as maneiras pelas quais esses vazamentos ocorrem. Uma medida será uma reestruturação da área de tecnologia da informação, com redesenho do sistema.

    Outro aspecto será um reordenamento normativo legal, apresentando propostas para alteração da lei de penalidades e dos processos de apuração das ilegalidades.

     
    Nota do SDV ( * ):  verso de “O Leãozinho”, música de Caetano Veloso.

     


  • “ACUSANDO O GOLPE”

    golpe-baixo2

    MINISTRO DO TSE DIZ QUE VAZAMENTO DA RECEITA É “GOLPE BAIXO” E “BISBILHOTICE”


    FOLHA.com / Felipe Seligman (Brasília) – O ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Marco Aurélio Mello afirmou que a quebra de sigilo fiscal de adversários políticos é “golpe baixo”, algo que, segundo ele, “não há espaço no campo eleitoral”.

    Ele considerou “péssimo” e chamou de “bisbilhotice” o episódio envolvendo a divulgação de informações sigilosas da Receita envolvendo tucanos, como do tesoureiro Eduardo Jorge.

    “É péssimo. No Estado Democrático de Direito, há de se respeitar certos valores e o valor coberto pelo sigilo é um valor maior. Não cabe a bisbilhotice”, disse.

    Para Marco Aurélio, é “sintomático” que o vazamento tenha ocorrido em época eleitoral. O ministro também disse que as críticas que faziam também seriam feitas, “se os dados divulgados fossem o de rivais (petistas)”.

    “Eles não precisam disso. Parecem estar em situação confortável”, avaliou o ministro.

    Além de EJ, como o tucano é conhecido, foram impressas as declarações de Imposto de Renda do ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, do ex-diretor do Banco do Brasil Ricardo Sérgio de Oliveira e de Gregório Marin Preciado, casado com uma prima de Serra.

    Os quatro eram alvos do dossiê montado pelo grupo que atuou na pré-campanha de Dilma Rousseff à Presidência. Os dados foram levantados pela Corregedoria Geral da Receita, que abriu investigação para apurar a quebra do sigilo de EJ, revelada pela Folha em junho.

     


  • A PELE LEVE E DOIDONA

    imagem

     
      ANVISA PROCESSARÁ REDE DE COSMÉTICOS POR USAR CANNABIS EM HIDRATANTE
     
    AGÊNCIA ESTADO (São Paulo) – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai abrir processo administrativo contra a rede de cosméticos Empório BodyStore pela venda de creme hidratante à base de Cannabis Sativa, planta a partir da qual se produz a maconha. De acordo com a agência, a empresa desobedeceu resolução que proíbe a produção de cosméticos com substâncias narcóticas. A BodyStore, com sede em Porto Alegre, pode receber de advertência a multa de R$ 1,5 milhão.

    O centro da polêmica é o creme Body Butter Hemp, vendido a R$ 53,90. O hidratante é feito com legítima manteiga extraída das sementes do cânhamo, que é conhecida por auxiliar na regeneração da pele seca, diz texto no site da BodyStore.

    Segundo a Anvisa, cosméticos do tipo têm registro simplificado – a empresa faz uma notificação eletrônica e assina termo de responsabilidade, garantindo a segurança e eficácia do produto -, por isso não há análise prévia à venda. A Body Store informa que a matéria-prima do hidratante tem registro na Comissão Europeia e não possui o THC, portanto não seria entorpecente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
     

  • MANCHA NEGRA NA ESCOLA

    manchanegra1

     
    JUSTIÇA CONDENA ESTADO DE SP A INDENIZAR ALUNO OFENDIDO POR ATIVIDADE DE CONTEÚDO RACISTA

    Blog Última Instância – A Justiça condenou o Estado de São Paulo a indenizar em R$ 20.400 a família de um aluno negro que se sentiu ofendido por uma atividade proposta, em sala de aula, com conteúdo considerado racista.

    De acordo com informações do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), em 2002, quando o garoto tinha sete anos, a professora do segundo ano da escola estadual Francisco de Assis, passou atividade baseada em texto chamado Uma família colorida, escrito por uma ex-aluna do colégio. Na redação, cada personagem da história era representado por uma cor: o pai era azul, a mãe era vermelha e os filhos, rosa. Até que um homem mau, que era preto, aparecia e tentava roubar as crianças.   

    Depois da atividade, a criança passou a apresentar problemas de relacionamento e de queda na produtividade escolar e, segundo laudos técnicos, desenvolveu um quadro de fobia em relação ao ambiente, tendo que ser transferido.   

    A decisão, da 5ª Vara da Fazenda Pública paulista, alega que a linguagem e o conteúdo utilizados nos textos são polêmicos, de mau gosto e deveriam ter sido evitados. De acordo com a sentença, houve ainda dano moral por conta da situação de discriminação e preconceito a que o casal e seu filho foram expostos.   

    O valor fixado para indenização corresponde a 20 salários mínimos para a criança e 10 salários mínimos para cada um dos pais.