• O BRÓGUI DO INÁÇO

    BLOG PLANALTO

    lula-computador
    ROCAS  QUINTAS – Direto do Jererê News para Cabrobó City


    Cumeçô oji cum mais de déiz mil velocipes na antena o brógui do prisidente Lula da Silva.

    O leriado do hómi foi batizado de “Brógui do Pranauto”, só qui de acordo cum a Secretaria de Cumunicação da Prisidença da Repúbrica – Secom, as escreveçenças das fôias de papeu almaço digitá serão escrevidas pela própia Secom e não pelo prisidente Lula, tão ligadu?

    Cadê qui ele foi pra negóço de “tuíst”, um broguinho pixototinho adonde o inquilino iscreve na tóra e a mundiça num perdoa nem a Xaxa fia da Xuxa!

    Tão pensano qui o barba é besta pra módi dá o cabimento e o gostim a cabra de pêia malhadô?

    Agora – qui nem fizero cum o meu patrão – vão lá prá módi tentá roubá a senha dêle, bando de ráqui da mulesta!


    NOTA DO REDATOR: Rocas Quintas é cobrador de ônibus da linha mais antiga de Natal, agora fazendo o trecho Rocas – Redinha, via “Ponte Nova”.


  • “ESTE É UM PAÍS QUE VAI PRA FRENTE, Ô Ô Ô Ô Ô”

    petro-patriota

    lula e dilma-petro


    “Deus resolveu passar no Brasil e ficar. Não foi embora”

    Frase eufórica de Luiz Inácio Lula da Silva após a Petrobras anunciar a descoberta do pré-sal.


    NOTA DO REDATOR:  “Este é um país que vai pra frente”
     foi um jingle da ditadura militar, gravado pelo conjunto musical  Os Incríveis,  retratando a euforia “patriótica” do regime autoritário.


  • IRMÃOS “GALADOS” BRIGAM DE NOVO!

    Noel e LiamIrmãos Noel e Liam Gallagher, da banda OASIS


    NOEL GALLAGHER DIZ QUE SAIU DA OASIS POR “INTIMIDAÇÃO”

    BBC – BRASIL

     
    O músico Noel Gallagher disse que foi forçado a deixar a banda de rock britânica Oasis por causa de intimidação.

    Em uma declaração em seu blog em Oasisnet.com, o músico disse: “Os detalhes não interessam e são demasiados para enumerar. Mas sinto que vocês têm o direito de saber que o nível de intimidação verbal e violenta contra mim, a minha família, amigos e companheiros tornou-se intolerável.”

    “E a falta de apoio e compreensão por parte dos gerentes e colegas de banda não me deixou outra alternativa a não ser pegar o meu boné e buscar novas paragens.”

    O guitarrista, contudo, não dá detalhes sobre como teria sido intimidado ou por quem.

    Noel Gallagher também pediu desculpas aos fãs em Paris, que ficaram desapontados quando a Oasis cancelou um show agendado, depois de divulgado na sexta-feira um comunicado anunciando sua saída da banda.

    Ele agradeceu o carinho dos fãs e disse que sua decisão de deixar a Oasis pôs fim a 18 anos “incríveis”. Para ele, o sucesso do grupo foi “um sonho que se tornou realidade”.

    “Eu levo comigo memórias gloriosas”, afirmou.

    “Cinco anos”

    O guitarrista principal da Oasis deixou a banda depois que as relações com o irmão e parceiro musical Liam se tornaram difíceis.

    Uma porta-voz do grupo disse que Liam e seus outros integrantes devem decidir nos próximos dias se querem continuar juntos sem Noel.

    O produtor musical Alan McGee, que descobriu a Oasis e contratou-a para seu selo Creation Records, afirmou que esta briga entre Noel e Liam “foi a pior que eles já tiveram, e eles já tiveram algumas muito ruins”.

    Mas ele prevê uma reconciliação. “Eles se amam e vão ficar juntos de novo.”

    “Eu acho que vamos ver uma turnê de reunião em uns cinco anos”, disse McGee.

     
    NOTA DO REDATOR:  a expressão “galado” é típica de Natal – RN.  Significa “chato”; “arengueiro”; “criador de caso”; “implicante”; “impertinente”; “metido”.


  • “SYMPATHY FOR THE KENNEDYS”

    sympathy-forthe-the-devil

    kennedybrothers

     
    “I shouted out,
    Who killed the Kennedys?
    When after all
    It was you and me”

    (versos de “Sympathy For The Devil”  –  Jagger / Richards)
     

    Washington, 29 ago (EFE) – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um emocionante discurso em Boston, em homenagem ao senador democrata Ted Kennedy, que faleceu na noite de terça-feira, a quem descreveu como a “alma do Partido Democrata e o leão do Senado americano”.


  • O DARDO DO BARDO

    Paulo_Leminski

     

    Amor, então,
    também acaba?
    Não, que eu saiba.
    O que eu sei
    é que se transforma
    numa matéria-prima
    que a vida se encarrega
    de transformar em raiva.
    Ou em rima.

    Paulo Leminski


  • O SUMIÇO DO BAIHUNO

    belchior


    ATÉ MAIS VER

    Belchior

    Ate mais ver, ate mais ver, meu camarada
    Contigo em mim e ainda em ti, vou indo em dois
    Qualquer distância entre nós, tornada em nada
    Só assinala um novo encontro pra depois.

    So long sem gesto, um bye ao léu… não diga sorte
    Não fale adeus que enruga o olhar mais compassivo
    Se, sob o sol, nada mais velho e vil que a morte
    Quem viu, na vida, novidade em estar vivo?


  • O VIALEJO E O BLUES

    luanzinho na gaita2
    (Texto resgatado da 1ª edição do “Som do Vialejo”)

     

    Apesar das controvertidas versões, a “paternidade” da gaita de boca é atribuída ao relojoeiro alemão Christian Buschmann, que a partir de um instrumento de palheta livre chamado sheng (“voz sublime”), conhecido há alguns séculos na China, teria confeccionado em 1821, durante as folgas do trabalho, as primeiras unidades do pequeno instrumento, logo considerado de “caráter lúdico”, portanto, de imediata aceitação pelas crianças.

    Em 1857, Matthias Hohner, outro relojoeiro, começou a manufaturar algumas centenas de unidades e, logo a seguir – com a consolidação da primeira revolução industrial – inicia a fabricação em grande escala. É o começo da “globalização” do carismático instrumento musical.

    Mesmo nos tempos da guerra de secessão americana (1861 e 1865), a gaita já era conhecida no sul dos Estados Unidos, a princípio, como instrumento da música folk, marchas, hinos e música composta para violino.

    Mas um dia ela foi adotada pelos negros para o lamento do blues. Não há dúvidas de que as notas do blues (“blues notes”), da escala vocal africana, explicitando os gemido e os queixumes dos negros trabalhadores dos campos de algodão (“os cantos do trabalho”), poderiam ser reproduzidas pelo pequeno instrumento nascido na Europa pelas mãos hábeis de relojoeiros em seus horários de lazer. Doce e suprema ironia!

    Nos anos vinte do século passado a gaita já estava totalmente integrada no universo do blues, no Sul dos EUA. Nessa época já era designada como “blues harp” (gaita de blues).

    Durante e após a 2ª guerra mundial a gaita viaja com a população negra da zona rural para os grandes centros urbanos, especialmente Chicago. Porém, a partir  da década de 1930 surgem nomes como Sonny Boy Williams; Little Walter; Big Walter Horton e Rice Miller, além do guitarrista e também gaitista Howlin’ Wolf, entre outros tantos tocadores do “desaforado” instrumento musical. O legendário Robert Johnson, antes do famigerado “pacto” para executar com maestria a sua guitarra acústica, também era gaitista.

    No início da década de 1960, mesmo sem serem considerados “virtuoses da gaita”, músicos como Bob Dylan; Keith Relf (crooner da banda inglesa “The Yardbirds”); John Lennon; Mick Jagger; Neil Young e John Mayall utilizaram a gaita em suas músicas, contribuindo para consolidá-la como instrumento importante do “Rock’n’blues”, além do folk e do country. Nesse mesmo período surge o grande gaitista Paul Butterfield, talvez o primeiro branco a tocar gaita “bluesy” com notável performance técnica e sensibilidade aguçada, comum aos demais gaitistas negros dos EUA.

    No Nordeste brasileiro, no final dos anos vinte, Lampião e seu bando já conheciam a gaita de boca e a usavam nos improvisos de seus xaxados e baiões. Aqui o seu nome era conhecido como “vialejo” ou “gaita de beiço”, conforme texto sobre cangaço já postado na primeira versão deste blog.

    Atualmente, apesar da notável divulgação da gaita de boca no sul e sudeste do Brasil – onde talentosos gaitistas executam com virtuose o pequenino instrumento – mesmo assim ainda reverbera a citação do grande Eduardo Nadruz, o Edu da Gaita:

    “A gaita é um instrumento sem cátedra”.

    Por isso mesmo, “God bless the children!”

    (GM)
     

    Garoto da foto:  meu neto Luan e seu vialejo “Gold Melody”, da “Hohner”.


  • A CUTUCADA DE “BOB FIELDS…”

    capitalismo


    “É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o socialismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar – bons cachês em moeda forte; ausência de censura e consumismo burguês. Trata-se de filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola…”


    (Roberto de Oliveira Campos)

    (Cuiabá, 17 de abril de 1917 – Rio de Janeiro, 9 de outubro de 2001)
    Foi um economista, diplomata e político brasileiro. Ocupou os cargos de deputa federal, senador e ministro do Planejamento de Castello Branco. Membro da Academia Brasileira de Letras.


  • LUA NOVA

    lua-NOVA



    O bardo na madrugada
    Sem flash light e luz de lua
    Catando sonhos de lata
    Extraviados na rua
    Sonda e sente prenúncios
    De abraços e beijos dispersos
    Batom impresso nos versos
    E no outdoor de anúncios.

    Atormentada dos ares
    Ruflando asas de chumbo
    Uma falena conduz
    O poeta vagabundo
    À mulher raio de luz.

     
    (GM)


  • DE BARBAS E BIGODES

    barbas e bigodes


    Lula ironiza Mercadante ao pedir retificação pelo Twitter

    Ygor Salles – Folha Online

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva brincou na terça-feira com o uso do serviço de microblog Twitter durante evento em São Bernardo do Campo (Grande SP) da qual participava o senador Aloízio Mercadante (PT-SP), que protagonizou na semana passada uma saia justa devido ao uso do sistema.

    Após pedir uma correção sobre informações que ele havia dado em evento pela manhã sobre a exploração do petróleo da camada pré-sal, Lula disse aos jornalistas: “Apenas para consertar aí, vocês que vão rapidinho aí na internet, naquele tal de Twitter e coloca as mensagens, por favor coloca lá a mensagem rapidinho. O Aloízio pode colocar no dele já.”

    Na semana passada, Mercadante anunciou como “irrevogável” pelo Twitter sua decisão de deixar o cargo de líder da bancada petista no Senado depois que o PT apoiou o arquivamento no Conselho de Ética das denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

    Porém, após se reunir com Lula, Mercadante recuou de sua decisão e decidiu continuar na liderança.